Juros bancários fecham 2012 bem acima da Selic

Levantamento da Fundação Procon-SP apontou queda na média de juros cobrada no crédito pessoal e no cheque especial em 2012. No entanto, as taxas continuam muito acima da Selic, taxa básica utilizada como referência pela política monetária do Banco Central.

Em janeiro do ano passado, a média de juros do cheque especial dos sete bancos pesquisados estava em 198,54% ao ano e fechou o 2012 em 149,51%. Uma variação negativa de 24,62%. Com relação aos empréstimos pessoais, a média cobrada começou 2012 em 98,60% ao ano; em dezembro, baixou para 86,93%. Redução de 11,78% no período.

Para efeito de comparação, a Selic começou 2011 em 11,25% ao ano. Atualmente, a taxa está em 7,25%, ou seja, houve uma redução de 35% no período.

“Na pesquisa de taxas de juros realizada em 2012 pelo Procon, constatou-se que o movimento das taxas médias, tanto do empréstimo pessoal quanto do cheque especial, foi fundamentalmente de queda, ao contrário do que ocorreu em 2011. O comportamento das taxas de juros não acompanhou o movimento da taxa básica da economia (SELIC3) na mesma proporção”, diz a nota do Procon.

Bancos públicos – A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil – os dois bancos públicos incluídos na pesquisa – tiveram reduções maiores das taxas de juros do cheque especial do que os bancos privados. As duas instituições foram as únicas a cobrarem menos do que a média pesquisada. No Banco do Brasil ficou em 7,02% e, na Caixa, em 5,60%, enquanto que a média dos sete bancos pesquisados ficou em 8,59%.

No caso dos juros do empréstimo pessoal, ambos os bancos públicos também ficaram abaixo da média, que foi de 5,54%. O Banco do Brasil apresentou 4,60% ao ano. A taxa de juros da Caixa ficou em 4,35% ao ano. A exceção foi o Safra, que também apresentou uma taxa de juros abaixo da média: 5,08%.

Banco do Brasil e Caixa pioneiros – Os bancos públicos foram os primeiros a baixar os juros do crédito ao cliente. Em abril de 2012, o Banco do Brasil anunciou um plano de redução de juros e de aumento dos limites de crédito para pessoas físicas e para micro e pequenas empresas.  Um dia depois, foi a vez da Caixa anunciar seu plano de redução dos juros bancários. Na esteira dos bancos estatais, vieram as reduções dos bancos privados.  

Fonte: Seeb SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + dezessete =