Ato estadual cobrou compromisso da direção do Banrisul com Plano de Carreira decente

Entre o meio-dia e às 14h desta última sexta-feira, 22 de fevereiro, um ato em frente à sede da Direção Geral (DG) do Banrisul, no Centro de Porto Alegre, cobrou do banco público dos gaúchos o cumprimento de um compromisso e da sua palavra com os trabalhadores. De um lado, a manifestação exigiu da direção a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) fechado em outubro do ano passado e a garantia de que irá implantar, até 31 de março, um Plano de Carreira decente. O ato encerrou com a entrega, no quarto andar do prédio da DG, de uma carta assinada pela Fetrafi-RS e pelo SindBancários (Porto Alegre) que foi construída e referendada pelo Comando Nacional dos Banrisulenses e pelo Conselho dos Delegados Sindicais solicitando que a direção honre o acordo que pôs fim à greve de 2012. 

Durante o ato, um boneco de três metros de altura chamou a atenção de quem passou pela Caldas Junior, rua do centro que serve de endereço à DG do Banrisul. A peça de publicidade representou o poder que a caneta da direção do banco tem ao decidir sobre o futuro dos banrisulenses. O boneco, movimentado por dois atores, trazia em uma das mãos uma caneta que espetava outro boneco, representando os funcionários do Banrisul. Durante o ato, a rua Caldas Junior ficou fechada por 15 minutos.

Banco não quer assinar o Acordo – Um dos motivos alegados pela direção do Banrisul para não assinar o ACT é um detalhe relacionado à cláusula que reduz as exigências para o direito à Remuneração Variável (RV 2). O banco não quer assinar o ACT porque não quer se comprometer com percentuais e com a democratização dessas verbas de remuneração variável. “A direção está se apegando a um detalhe. Isso não pode acontecer com o nosso Plano de Carreira. O nosso Plano de Carreira tem data. É dia 31 de março. Não queremos que este Plano de Carreira venha legitimar os mandos e desmandos do banco. Em vez de motivar o funcionalismo, a direção só se desmoraliza com assédio e metas abusivas. É com luta e mobilização que as conquistas vêm para nós. A direção assumiu um compromisso e vai ter que cumprir a palavra de implantar um Plano de Carreira transparente, democrático e que valorize os banrisulenses”, disse Mauro Salles, diretor do SindBancários.

A diretora da Fetrafi-RS, Denise Corrêa, disse esperar que a direção do Banrisul tenha a sensibilidade de reconhecer e honrar a palavra que afiançou com os trabalhadores e com os representantes sindicais nas negociações da Campanha Salarial de 2012. “Todos os dias temos recebido denúncias de companheiros reclamando que estão em desvio de função, correndo riscos e assumindo responsabilidades que não são suas e sem ganhar nada com isso. As condições de trabalho estão se deteriorando com cobranças de metas inexequíveis, gerando o adoecimento dos trabalhadores e trabalhadoras em função do assédio moral usado como política de gestão. Estamos construindo um Plano de Carreira com base no respeito, democracia e transparência. Também queremos respeito para que não percamos a confiança na palavra da direção do Banrisul”, disse Denise.

Para o diretor da Fetrafi-RS, Carlos Augusto Rocha, os trabalhadores têm feito a sua parte no que diz respeito a à dedicação para que o banco aumente a lucratividade a cada ano lucro e que a participação dos banrisulenses é fundamental para tornar o banco cada vez mais forte. “Este é o primeiro de uma série de atos que vamos realizar na frente da DG. Cada vez que tivermos que vir aqui, vamos fechar a Caldas Junior para que a sociedade gaúcha saiba que vamos cobrar da direção que honre a sua palavra. A caneta da direção está fincada no coração dos banrisulenses”, avalia Rocha.

Carta de cobrança – Por volta das 13h15min, dirigente sindicais, delegados sindicais e funcionários do Banrisul foram até o quarto andar da DG entregar uma carta de cobrança das reivindicações acordadas na época da Campanha Nacional 2012. A carta é assinada pela Fetrafi-RS e pelo SindBancários e foi construída e referendada pelo Comando Nacional dos Banrisulenses e pelo Conselho dos Delegados Sindicais solicitando que a direção honre o acordo que pôs fim à greve de 2012. O grupo foi recebido pelo Superintendente de Gestão de Pessoas do Banrisul, Gaspar Saikoski. Entre os pontos ressaltados pelo documento, destaca-se o seguinte:

– Assinatura do Acordo Coletivo 2012 (ACT)

– Fim do assédio moral e das metas abusivas

– Contratação imediata de aprovados no último concurso

– Reafirmar o dia 31 de março como o dia de finalização do Plano de Carreira

– Explicações sobre a RV 2

– Data do concurso para TI-II

 

Calendário de lutas – Reunião do Comando Nacional dos Banrisulenses, na tarde da quinta-feira, 21/2, na sede da Fetrafi-RS, em Porto Alegre, definiu o calendário de lutas até a implantação do Plano de Carreira dos banrisulenses. Confira:

22/2/2013: Ato em defesa da Implementação do Plano de Carreira decente. Entrega de uma carta de cobrança da assinatura do ACT

7/03/2013: Dia Nacional de Luta dos Banrisulenses pelo Plano de Carreira

23/03/2013: Assembleia Nacional dos Banrisulenses em Porto Alegre

 

Campanha publicitária – Para dar visibilidade à cobrança de postura e de palavra da direção do Banrisul, foi elaborada uma campanha publicitária pela Veraz que procura demonstrar para a direção do Banrisul a importância dos bancários e das bancárias na construção dos resultados positivos. O mote da campanha é: “Quem move o Banrisul, é o bancário”. Entre as peças elaboradas estão banners móveis, adesivos de chão, panfletos e adesivos de lapela.

Fonte: SindBancários (com edição da Assessoria de Comunicação Bancax).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 9 =