Sindicato integra atividades no Dia Internacional de Prevenção contra LER/DORT

 

Em alusão ao Dia Internacional de Prevenção contra Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (LER/DORT), 28 de fevereiro, foram realizadas atividades de conscientização e debate sobre as doenças.

Pela manhã, na Praça Dante Alighieri, a Secretaria da Saúde, por meio do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), distribuiu panfletos de orientação e informação sobre LER/DORT.  Também foram realizados exercícios em grupo de ginástica laboral. O Sindicato dos Bancários de Caxias e Região esteve presente nas atividades da Praça com o grupo União Solidária dos Bancários Afastados (USBA).

À tarde, as atividades deram seguimento: um painel de discussão sobre os problemas das doenças causadas pelo excesso de trabalho foi montado na sede do Sindicato. A psicóloga Stelamaris Zanatta explanou sobre as experiências do USBA, como funciona e quais são seus objetivos. O painel contou também com a presença de representantes sindicais de outras categorias e representantes da Saúde e do Ministério Público do Trabalho.

Durante a conversa todos foram convidados a refletir sobre a repercussão que o trabalho tem na vida de cada um. “Todo trabalhador que enfrenta algum problema, ou que está em situação desagradável no trabalho deve falar, deve comunicar ao empregador”, ressaltou Ricardo Garcia, procurador do Ministério Público do Trabalho.

É importante demonstrar continuamente a unidade da categoria: reivindicar a qualidade de vida e as implicações dos direitos se tornam alternativas para solucionar problemas como esse. A saúde do trabalhador, muitas vezes, agrava pelo descaso ou pela falta de atividade preventiva. O bancário adoece física e psicologicamente, isso causa conflitos pessoais.

O USBA é um grupo de apoio e suporte emocional, que busca dar evasão aos problemas e gerar conforto ao trabalhador afastado. Funciona há 7 anos, todas as quintas, na sede do Sindicato.

O que é LER/DORT? – Conjunto de doenças que atingem músculos, tendões, nervos e articulações dos membros superiores (dedos, mãos, punhos, antebraços e braços) e, eventualmente, membros inferiores e coluna vertebral. Decorrem de sobrecarga do sistema músculo-esquelético no trabalho, que vai se acumulando ao longo do tempo.

Quais os fatores que contribuem para o surgimento de LER/DORT? – Repetitividade de movimentos; ritmo de trabalho intenso; móveis e equipamentos incômodos; postura inadequada; falta de tempo para ir ao banheiro; cobrança contínua por produtividade; exposição ao frio e às vibrações.

Os sinais e sintomas da LER/DORT podem ser: fadiga muscular, alteração da sensibilidade, sensação de peso; perda de controle de movimentos; dificuldade para encostar a ponta do dedo em outra ponta; formigamento e dor. Algumas doenças do grupo LER/DORT: cervicalgia, dorsalgia, lombalgia, tendinites, sinovites, epicondilite, síndrome do túnel do carpo, ciática, dedo em gatilho, bursites, entre outras.

O que fazer em caso de suspeita de LER/DORT? – Primeiramente, é necessário procurar um profissional (médico) para averiguar o problema. No estágio inicial da doença, ela é mais facilmente tratada com medição e fisioterapia.

Se a LER/DORT for diagnosticada, o trabalhador/a trabalhadora precisa exigir do banco a emissão de CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) ao INSS. Caso a empresa (o banco) não emitir o CAT, o bancário/a bancária deve buscar o Sindicato, pois este emitirá.

No caso de demissão e omissão da empresa na emissão do CAT, a garantia do emprego decorre do nexo casual, nos termos da Súmula 378 no TST. Neste caso, o trabalhador deverá ingressar com uma ação trabalhista.

Assessoria de Comunicação Bancax.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 12 =