21º Encontro Nacional dos Banrisulenses ocorreu no sábado, 03

Os participantes do 21º Encontro Nacional dos Banrisulenses, ocorrido no último spabado, 3/8, no Hotel Embaixador, em Porto Alegre, aprovaram a pauta de reivindicações específicas dos trabalhadores. No mesmo encontro, os Banrisulenses referendaram o calendário de mobilização nacional dos bancários e elegeram o novo Comando e as comissões de Saúde e de Segurança.


Salário do Dieese como piso, valorização das funções através de remuneração, fim das metas individuais abusivas, além da suspensão de quaisquer projetos de terceirização e o fim da trava de dois anos para participação em novos processos seletivos, entre outros pontos, estão contemplados na pauta especifica. Os Banrisulenses querem, também, que o banco adote políticas mais incisivas contra o racismo, o machismo, a homofobia e demais formas de discriminação.


Outra reivindicação é que o Banrisul estabeleça mecanismo de punição exemplar aos assediadores. Por consenso, as reivindicações para melhorar a proposta de Plano de Carreira apresentada pelo banco foram agregadas à pauta específica.

O presidente do SindBancários, Mauro Salles, presença constante nas lutas dos banrisulenses, sustentou que o momento político do país está colocando ao movimento sindical muitos e novos desafios.


“Temos diferentes visões sobre a leitura das lutas que estão sendo travadas nas ruas de Norte a Sul do país. As reivindicações dos colegas do Banrisul, assim como as demandas da categoria bancária, não podem ficar deslocadas das exigências dos trabalhadores pelo aprofundamento das mudanças no Brasil. Mais do que nunca, será preciso muita unidade política, organização coletiva, transparências nos encaminhamentos e nas ações contra os gestores, governos e banqueiros, que vivem criando fórmulas para explorar a nossa categoria”, analisou Mauro.


Consenso no novo Comando


Os debates no plenário se deram em um clima fraternal entre os participantes. Nesta atmosfera, os Banrisulenses definiram os itens da pauta na maioria por unanimidade. A definição selou o compromisso de conduzir a Campanha Salarial 2013 com unidade política e sintonia nas ações de mobilização com a categoria bancária.


Dessa forma, as novas composições do Comando Nacional, assim como das comissões de Saúde e Segurança, contemplaram todas as correntes de pensamento existentes no movimento e que integram o Banrisul. “A nossa unidade foi construída em bases políticas sólidas e na perspectiva da luta. Não tenho dúvidas, saímos deste Encontro Nacional organizados e bem preparados pra tocar uma grande campanha salarial”, projetou Carlos Augusto Oliveira Rocha, diretor da Área de Formação da Fetrafi RS.


Sintonia nacional


Os banrisulenses, evidenciando sintonia com as mobilizações que sacudiram o país, irão se integrar ao movimento nacional, articulado pelas principais centrais sindicais. A pauta nacional exige o atendimento das reivindicações dos trabalhadores e o aprofundamento das mudanças sociais no Brasil. Nesse sentido, uma das moções aprovadas foi de apoio às ações do Bloco de Lutas pelo Transporte Público, que batalha nas ruas de Porto Alegre por um transporte de qualidade, gratuito e 100% público. Também recebeu o apoio dos Banrisulenses a nota de repúdio contra a perseguição política que a empregada da Caixa Econômica Federal, Claudia dos Santos, que é Secretaria da Mulher Trabalhadora da Fetrafi-RS, vem sofrendo na instituição.


“Foi um encontro vitorioso. Avançamos muito na composição da pauta, que expressa a capilaridade do banco. Também avançamos na exigência e na defesa de um banco público e mostramos que não estamos desvinculados do movimento e das lutas gerais da classe trabalhadora”, sustentou Denise Falkenberg Corrêa, diretora da Área da Saúde da Fetrafi RS.

Fonte: Fetrafi com Sindbancários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − 1 =