Dia Nacional de Mobilização e Paralisação

A CUT e as demais centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (30), o Dia Nacional de Mobilização e Paralisação. Em várias cidades do país, diversas categorias e ramos estão mobilizados para pressionar o Executivo e o Legislativo para que votem a favor das pautas de interesse da classe trabalhadora.

Os itens da pauta de reivindicações que serão priorizados nos atos desta sexta são:

1-    contra o Projeto de Lei nº 4330/04, o PL da terceirização de autoria do deputado-empresário Sandro Mabel (PMDB-GO), que retira direitos dos trabalhadores e piora muito as condições de trabalho, renda e segurança; pelo fim do fator previdenciário; pelas 40 horas semanais sem redução de salário; 10% do PIB para a educação; 10% do orçamento da União para a saúde; transporte público e de qualidade; valorização das aposentadorias; reforma agrária; suspensão dos leilões do petróleo.

Confira abaixo como estão sendo as manifestações pelo Brasil.

 

AMAPÁ

Manifestantes se concentraram na Praça Veiga Cabral no centro às 8h e saíram em passeata pela rua Candido Mendes, seguindo pela Av. Padre Julio até a Rua São José até a Av. FAB, encerrando na Assembleia Legislativa. Houve muita participação dos sindicatos e população.

 

AMAZONAS

Atraso na troca de turno em empresas metalúrgicas e plásticas, com panfletagem, a partir das 5 da manhã até às 7 da manhã.

 

BAHIA

Pela manhã, houve manifestações nas bases dos sindicatos CUTistas das 3h30 da manhã até meio-dia. Bloqueio na BR 324, paradas em indústrias, serviços, educação, (trabalharam até meio-dia), saúde, polícia civil, rodoviários, alimentação, guarda municipal, polo petroquímico. Ao todo, cerca de 10 mil trabalhadores participaram dos atos.

A partir das 17 horas teve início protesto em frente à Rede Bahia, afiliada da Rede Globo, no Bairro da Federação.

 

CEARÁ

Paralisação dos trabalhadores do Comércio, Bancários, Educação (APEOC e SINDUTE) e de Servidores Estaduais e Municipais em alguns municípios.

Fortaleza

Trabalhadores fecharam os sete Terminais de ônibus de Fortaleza, desde as 5 horas da manhã.  

Caucaia– Os trabalhadores municipais se concentraram à 9h na Praça da Câmara. Atos regionais em Beberibe, Cascavel, Chorozinho, Eusebio, Guaiuba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba e São Gonçalo de Amarante.

Quixadá- ato em frente à Prefeitura às 8h e ato em Quixeramobim.

Quixeré- Concentração ocorreu a partir das 8h na sede do sindicato dos municipais. Manifestações em Ereré, Icapuí, Jaguaribe, Jaguaribara, Jaguaretama, Limoeiro do Norte, Morada Nova, Pindoretama, Russas, Tabuleiro do Norte.

Crato- Foi realizado um grande debate no Auditório do Palácio do Comércio às 9h.

Campo Sales- Ato na Câmara Municipal às 9h

Itapipoca, concentração às 8h na sede do sindicato dos municipais, seguida de caminhada.

Senador Pompeu- assembleia-geral

Aquiraz– assembleia de professores às 15h

Missão Velha- Fórum na Câmara Municipal às 8h

Cratéus- concentração ás 8h na câmara municipal; ato em Nova Russas e Tamboril.

Itaitinga- Concentração na Escola Profissionalizante às 15h

 

DISTRITO FEDERAL

Às 7h30 os aeroviários realizaram ato no Aeroporto Internacional de Brasília pela construção de estacionamento público. Concentração em frente ao terminal II;

Os trabalhadores dos Correios fizeram um ato pela manhã em frente ao edifício sede da empresa;

Os Municipais realizaram às 12h um debate sobre o PL 4330, no Espaço do Servidor (Esplanada dos Ministérios)
Às 13h, os trabalhadores da Educação fizeram inauguraram o acampamento pela votação do Plano Nacional de Educação (PNE), montado em frente ao Senado Federal;

 

ESPÍRITO SANTO

Atos no centro da cidade. As passeatas pararam as entradas de Serra a Vitória, de Vila Velha a Vitória e Cariacica. Caminhada até a Federação das Indústrias – FINDES. Cerca de 3 mil pessoas participaram das manifestações. O ato foi encerrado às 13 horas.

 

GOIÁS

A concentração aconteceu na Praça do Bandeirante, no Centro de Goiânia, a partir das 9 horas. De lá, acompanhados de carros de som e distribuindo panfletos e adesivos contra Sandro Mabel, seguiu em passeata até a Praça Cívica, onde fez uma manifestação em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, exigindo o cancelamento do decreto 7964, que o governador Marconi Perillo (PSDB) emitiu com medidas antiparalisações.  

Houve ato em frente ao Escritório do Sandro Mabel (PMDB-GO), autor do PL 4330, da Terceirização, que a CUT luta para que seja derrotado no Congresso.

 

MARANHÃO

Paralisação nos transportes durante todo o dia; Trabalhadores da Previdência pararam a partir das 14 horas.

Pela manhã, paralisação nos locais de trabalho em  São Luís e cidades do interior. À tarde ato político às 15 horas, na Praça Teodoro.

Professores, transporte e bancários, entre outras, categorias, estão mobilizadas.  

 

MATO GROSSO

Houve ato na Praça Ipiranga a partir das 7h30.

 

MATO GROSSO DO SUL

Os Eletricitários de Mato Grosso do Sul realizaram às 6h30 um ato em frente à Enersul, empresa onde os trabalhadores são muito afetados pela terceirização.  

Às 08 horas os Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior do MS fizeram ato na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, com forte crítica à EBSERH.

Por volta das 8h30, os professores realizaram uma panfletagem em frente à Praça Ary Coelho, na Av. Afonso Pena.

Também pela manhã, os bancários fizeram um protesto na agência Banco do Brasil na Afonso Pena com 13 de Junho.

Durante todo o dia aconteceu a Plenária Estadual dos Trabalhadores em Seguridade Social (SINTSSMS) que abordou os temas: defesa do SUS, CPI estadual da Saúde e as terceirizações.  

 

MINAS GERAIS

Ocupação e fechamento por uma hora e meia da BR-381, Rodovia Fernão Dias, no trevo da Fiat Automóveis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A marginal da rodovia sentido São Paulo também foi bloqueada por volta das 5 horas até as 7h30. O bloqueio atrasou a entrada para o turno e a saída dos metalúrgicos da montadora.

Motoristas e cobradores paralisaram a partir das 5h da manhã. Houve manifestação e fechamento das Estações de ônibus do Barreiro e Diamante, em Belo Horizonte. Nenhum veículo saiu do local, o que afeta aproximadamente 170 mil usuários que utilizam os dois locais diariamente.

Trabalhadores em educação da rede estadual de Minas Gerais iniciaram na parte da manhã um protesto na entrada principal do Palácio das Mangabeiras, em Belo Horizonte, residência oficial do Governador do Estado.

Em Juiz de Fora, ato na Câmara dos Vereadores.

 

PARÁ

Em Belém o ato reuniu cerca de mil manifestantes. Trabalhadores gráficos, urbanitários, bancários, metalúrgicos, médicos, hoteleiros, rurais, mototaxistas, estudantes, professores das redes estaduais, municipais e privados, rodoviários, aposentados, trabalhadores da saúde, trabalhadores do setor público agropecuário e fundiário, jornalistas, servidores do Detran, entre outros participaram das manifestações.

Os bancários paralisaram o Banpará Matriz.

Houve ato em frente à sede da TV liberal afiliada da Rede globo. Os manifestantes entoaram palavras de ordem como: “Democratize/ Tenho direito de escolha/“. Também atearem fogo num caixão simbólico que representava a morte e decadência dos meios de comunicação antidemocráticos.

 

PARAÍBA

Em João Pessoa, concentração aconteceu na Praça em frente ao Palácio do Governo, Assembleia e Judiciário (3 poderes). Em seguida, caminhada até a Lagoa, passando pela Delegacia Regional de Trabalho, Sistema Correios de Comunicação, Colégio Central Liceu Paraibano. Ato Político, no final da tarde na Lagoa.

Manifestações também em Campina Grande.

 

PARANÁ

Paralisação nas principais cidades do Estado: Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Toledo, Francisco Beltrão, Apucarana, Foz. Bancários realizaram manifestações em Londrina.

As escolas pararam em todo o estado e os professores se juntaram aos protestos em Curitiba.

Trabalhadores/as saíram em marcha da Praça Santos Andrade em direção ao Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Ato Político ocorreu às 13 horas no Centro Cívico, Sede do Governo Estadual. Houve ato em Frente à FIEP (Av. Cândido de Abreu). 

Mais de 10 mil pessoas participaram dos atos em Curitiba. Outras milhares participaram das manifestações nas demais cidades do estado.

Mobilização na Repar, com a participação de trabalhadores próprios e terceirizados, que atrasaram a entrada do expediente e participaram do ato, que também teve a adesão dos petroquímicos da Fafen, da montagem e manutenção industrial e dos trabalhadores da Gelopar, fábrica de refrigeradores. O ato foi encerrado com uma grande marcha, com a participação de aproximadamente 3.000 trabalhadores.

 

PERNAMBUCO

Cinco dirigentes do sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco, filiado à CUT, foram  arbitrariamente presos pela PM após protesto na BR 101. A PM tem reprimido severamente os movimentos sociais no estado.

 

PIAUÍ

Paralisação total dos Trabalhadores da Educação e parcial de outras categorias. Ato às 15h na Praça da Liberdade no centro de Teresina, ao lado da Igreja São Benedito.

 

RIO GRANDE DO NORTE

Ato pela manhã no Centro, reunindo diversas categorias. Os manifestantes seguiram em passeata até o Palácio do Governo e Assembleia Legislativa. Atos também em Mossoró e em outras cidades.

 

RIO GRANDE DOS SUL

Mobilização em diversas fábricas: Fábrica Beira Rio no Vale dos Sinos e bloqueio de estrada.

Metalúrgicos e Petroleiros de Canoas fizeram caminhada.

Paralisação do transporte público, em Porto Alegre, Pelotas, Rio Grande. Os rodoviários lutam pelo PLS 271 (Estatuto do Rodoviário, que trata do risco de vida, jornada e aposentadoria especial).

As 11 horas foi realizado ato em frente à Expointer, Esteio (próximo a Porto Alegre).

 

RIO DE JANEIRO

Ato e panfletagem na Central do Brasil a partir das 15 horas. Trabalhadores de diversas categorias participaram do ato: metalúrgicos, trabalhadores da construção civil, vidreiros, moedeiros, servidores públicos federais, garis, trabalhadores em saúde, enfermeiros, manicures, professores, trabalhadores no setor de alimentação, servidores da UFRJ, químicos, engenheiros, bancários, trabalhadores em telecomunicações, petroleiros, servidores das forças armadas, funcionários em transportes aquaviários, jornalistas, radialistas e eletricitários, além de movimentos sociais, como o MST.

 

RORAIMA

Realizadas ações contra o PL 4330:

– Publicação de uma nota (inserção) na emissora TV Roraima hoje em horário nobre;

– Panfletagem em órgãos públicos, empresas, entidades, na Assembleia legislativa e outros locais;

– Publicação de nota no jornal impresso;

– Reenvio aos parlamentares de carta aberta.

 

SÃO PAULO

Capital

Metalúrgicos e professores se concentraram na Praça da República a partir das 11h e das 13h, e seguiram em caminhada para ato às 15h no vão livre do MASP, na AV. Paulista, na capital, onde os Bancários já estão concentrados.

Também foi realizado um ato em frente ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), no centro de são Paulo. Os aposentados seguiram para o vão livre do MASP para a manifestação das 15h.

Campinas

Eletricitários do Sinergia CUT, Urbanitários da FTUESP e bancários fizeram paralisações.

Santos

Houve paralisação de uma faixa na Avenida da Praia Santos x São Vicente. 

 

SANTA CATARINA

Mobilizações realizadas nas regionais Norte, Oeste e Meio Oeste, Florianópolis, Sul.

Em Florianópolis houve mobilização na Praça Tancredo Neves na parte da tarde. Fechamento de órgãos públicos, inclusive o INSS. Foi fechado o Banco Santander até meio-dia.

Em Caçador, mobilização nos locais de trabalho.

Em Chapecó, os agricultores familiares realizaram paralisações a partir das 10 da manhã.

 

SERGIPE

Ato na Praça Fausto Cardoso ás 14h. Paralisação dos trabalhadores da Educação e Bancários.

 

TOCANTINS

Mobilizações em Palmas, Gurupi e Araguaina. As principais avenidas foram paradas e um dirigente foi preso.

Ato Público a partir das 16 horas, com paralisação das vias.

 

Fonte: CUT – Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =