Investigação do Sindicato dos Bancários de PORTO ALEGRE leva à desarticulação de quadrilha

O SindBancários (Sindicato dos Bancários de Porto Alegre) esclarece que a Operação Ourives não começou nesta segunda-feira, 23/9. Há mais de um ano, subsidiada pela documentação e investigação interna do Sindicato, a Polícia Civil abriu inquérito para e investigar supostas fraudes. O Sindicato não divulgou o resultado desta operação de levantamento e auditoria em virtude de o inquérito policial ter corrido com segredo de justiça a partir de sua instauração e por conta do sigilo fiscal e bancário dos envolvidos. Clique aqui para ver a nota de esclarecimento na íntegra!


A operação Ourives, subsidiada pela documentação e investigação interna do Sindicato, possibilitou que a Polícia Civil abrisse inquérito para investigar supostas fraudes. O Sindicato dos Bancários de Caxias do Sul e Região esclarece que quem iniciou a apuração e encaminhou a investigação à polícia foi o Sindicato dos Bancários de PORTO ALEGRE –SINDBANCÁRIOS, há mais de um ano.

Como sempre o SindBancários age com transparência neste momento em que a categoria está mobilizada em sua greve. Lembramos que informação confiável deve ser obtida junto ao SindBancários. Independentemente das notícias publicadas em alguns veículos de imprensa, o Sindicato se coloca à disposição de qualquer cidadão para esclarecimentos. “A direção do Sindicato agiu com transparência e rapidez. Este assunto correu em segredo de justiça. Não vamos descansar enquanto não resgatarmos os diretos integrais dos trabalhadores e trabalhadoras lesados. Não podemos também desviar o foco de nossa atenção. Estamos no começo de um a greve que cresce a cada dia. Vamos continuar na nossa luta pela conquista de direitos. A unidade tornou a nossa categoria forte. A nossa greve fortalece ainda mais a nossa luta”, disse o presidente do SindBancários, Mauro Salles.

O SindBancários esclarece também que a partir da auditoria externa contratada, todo os bancários, ex-bancários ou seus sucessores lesados foram identificados. Tão logo o processo policial foi instaurado, iniciou-se o ressarcimento aos mesmos. “O departamento jurídico tranquiliza os bancários em relação aos pagamentos oriundos das ações coletivas. A maioria dos nossos processos não foi alvo desta fraude. O que precisa ficar claro é que foi a partir de uma iniciativa do SindBancários que a Polícia Civil gaúcha desarticulou uma quadrilha com ramificações em outros Estados, inclusive especializada em lavagem de dinheiro, o que não tem nenhuma ligação direta com o Sindicato”, diz o diretor jurídico do SindBancários, Lúcio Mauro Paz.

Fonte: Imprensa/SindBancários

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 19 =