Santander passa a faca e corta R$ 1,2 bi no Brasil

O banco Santander, notório por submeter seus funcionários no Brasil a uma alto grau de pressão, acaba de anunciar uma péssima notícia para os colaboradores: irá cortar despesas em 1 bilhão de euros até 2016, dos quais 400 milhões de euros – cerca de R$ 1,2 bilhão – serão podados na operação brasileira.

O anúncio foi feito em teleconferência por Javier Marín, presidente mundial do Santander, nesta manhã. Segundo ele, o corte é necessário para melhorar a "eficiência dos custos". O executivo também criticou o aumento de 8% obtido pelos bancários. "O acordo coletivo deu um aumento de 8% no Brasil", disse. "Por isso, é tão importante colocar em prática todas as medidas para que o Brasil tenha um custo de negócio similar a outros países em que operamos", disse.

Os cortes foram anunciados no mesmo dia em que o banco anunciou seus resultados no Brasil, onde houve lucro de R$ 1,4 bilhão no trimestre. Abaixo, noticiário da Reuters:

Santander Brasil tem queda de 6,8% no lucro do 3o tri 

O Santander Brasil encerrou o terceiro trimestre com queda de 6,8 por cento no lucro líquido gerencial sobre um ano antes, para 1,407 bilhão de reais, apesar de reduzir provisões para perdas com crédito e elevar receitas com prestação de serviços.

O resultado da filial brasileira do banco espanhol veio praticamente em linha com o esperado por analistas consultados pela Reuters, de lucro líquido recorrente de 1,33 bilhão de reais.

Os números trimestrais do Santander Brasil foram divulgados depois que a matriz anunciou mais cedo lucro líquido de 1,06 bilhão de euros no terceiro trimestre, também em linha com expectativas do mercado.

O Santander Brasil foi o segundo entre os maiores bancos privado do país a divulgar seus resultados de terceiro trimestre. Na segunda-feira, o Bradesco publicou lucro líquido de 3,06 bilhões de reais, crescimento de 7 por cento sobre o mesmo período de 2012.

A inadimplência em operações de crédito vencidas há mais de 90 dias do Santander Brasil encerrou setembro em 4,5 por cento, uma queda ante os 5,1 por cento registrados no terceiro trimestre de 2012 e os 5,2 por cento do segundo trimestre deste ano.

Enquanto isso, a provisão para empréstimos de liquidação duvidosa somou 2,698 bilhões de reais nos três meses encerrados em setembro, queda de 16,4 por cento sobre um ano antes e recuo na comparação com os 3,2 bilhões do segundo trimestre.

A margem financeira bruta somou 7,521 bilhões de reais ante 8,111 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2012.

Apesar do forte recuo nas provisões, a carteira de crédito do Santander Brasil cresceu 7,1 por cento entre setembro de 2012 e o mês passado, para 222,07 bilhões de reais.

O banco apurou ainda alta anual de 7 por cento nas receitas com prestação de serviços e tarifas, para 2,614 bilhões de reais. Enquanto isso, as despesas gerais subiram 2,2 por cento, para 4,1 bilhões de reais.

O índice de retorno sobre patrimônio líquido médio anualizado excluindo ágio foi de 10,6 por cento no terceiro trimestre ante 10,9 sobre o segundo trimestre.

 

Fonte: Brasil 247

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + sete =