Centrais e entidades lançam Fórum Social Temático 2014


 

 

Com as recordações voltadas para o Fórum Social Mundial do início dos anos 2000, evento que trouxe multidões a Porto Alegre, foi lançado nesta segunda-feira (2) o Fórum Social Temático (FST) de 2014. Organizado por centrais sindicais e alguns movimentos sociais, o evento recebe patrocínio do governo federal e apoio do governo do Estado do Rio Grande do Sul e das prefeituras de Porto Alegre e Canoas. O Fórum Social Temático ocorre entre 21 e 26 de janeiro de 2014.

 

O lançamento da programação ocorreu no fim da manhã desta segunda no Memorial do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Estiveram presentes representantes da Força Sindical, da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e do movimento negro, entre outros. A primeira atividade ocorrerá em Canoas no dia 21 de janeiro, com a abertura do Fórum Mundial da Educação (FME).

 

No dia seguinte, o FST terá início em Porto Alegre. A marcha de abertura, no entanto, ocorrerá na quinta-feira, dia 23. A partir dos eixos "Crise Capitalista", "Democracia" e "Justiça Social e Ambiental", o FST "se constitui de um espaço aberto de encontro para o aprofundamento da reflexão, do debate democrático de ideias, da formulação de propostas (.) para ações eficazes de entidades e movimentos da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital".

 

Lélio Falcão, da Força Sindical do Rio Grande do Sul, afirmou que o evento deve organizar quase mil atividades em menos de uma semana, entre as que ocorrem em Porto Alegre e Canoas. Segundo o dirigente, as discussões do Fórum irão passar pela orla do Guaíba, a Usina do Gasômetro, o Largo Zumbi dos Palmares, por prédios da UFRGS e pela Casa de Cultura Mario Quintana. No Parque da Harmonia, ficará o acampamento da juventude.

 

Para Nelsa Nespolo, diretora de Economia Solidária do governo do Rio Grande do Sul, o Fórum precisa debater "a democracia econômica, com foco na distribuição da riqueza". Segundo a diretora, parte do material que o evento entregará aos inscritos será produzida em cooperativas que se utilizam de práticas de economia solidária. A vereadora Jussara Cony (PCdoB) afirmou que "com esta composição de entidades, teremos mais unidade de ação". "Porto Alegre é uma referência para os fóruns do mundo", lembrou Jussara.

 

Mara Feltes, secretária de formação da CUT-RS, lembra que os militantes "surpreenderam os bares, hotéis e restaurantes de Porto Alegre com o primeiro Fórum Social Mundial". "A grandeza do Fórum passa pela nossa capacidade de mobilização e de divulgação", disse a sindicalista.

 

Na breve solenidade de lançamento, o secretário de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, representou o governo do estado, e Carlos Souza, secretário-adjunto de Governança Local, a prefeitura de Porto Alegre.

 

Contraf-CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 16 =