Bancários promovem sardinhada para denunciar assédio no Santander

Com muita fumaça e sardinhada, diretores do Sindicato dos Bancários de São Paulo protestaram nesta terça-feira (14) contra o assédio moral institucionalizado no Santander. O ato foi em frente à agência Nova Cantareira, na zona norte da capital paulista, e contou com o apoio de funcionários e clientes.

"Escolhemos essa agência por ser uma das maiores e de maior visibilidade na região, mas deixamos claro que o problema do assédio moral no Santander é geral e institucionalizado. É a forma de gestão adotada pela diretoria do banco, com pressão sobre os funcionários para que vendam um número cada vez maior de produtos que faz com que o assédio prevaleça na empresa", diz o dirigente sindical Marcos Amaral, o Marquinhos.

Durante a manifestação, um correntista do banco espanhol manifestou sua solidariedade aos funcionários. "Ele disse que iria ligar para a ouvidoria do banco e denunciar que os bancários estavam sendo tão pressionados a ponto de ligar várias vezes para a casa dele implorando que aceitasse os produtos que estavam vendendo", conta Marquinhos. "Tudo isso porque os trabalhadores têm de cumprir metas abusivas, que levam ao assédio e ao adoecimento", acrescenta.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 11 =