Bradesco faz mudanças na cúpula e troca três vice-presidências

Dois anos depois de promover um rejuvenescimento da sua alta cúpula, o Bradesco fez novos ajustes em sua diretoria, fortalecendo sua estrutura. Apesar de mais modesta do que as promoções de 2012, a reformulação deste início de ano trouxe três novos vice-presidentes, segundo comunicado interno divulgado pelo banco na sexta-feira.

Os diretores-gerentes Josué Augusto Pancini (rede de atendimento), Maurício Machado de Minas (tecnologia e marketing) e Alexandre da Silva Glüher (jurídico) subiram um degrau na hierarquia do segundo maior banco privado do país, passando à vice-presidência.

Ao mesmo tempo, o vice-presidente José Alcides Munhoz (crédito) se aposenta por limite de idade, sendo indicado para o conselho de administração.

Com as recentes medidas, a vice-presidência do Bradesco passa a contar com oito integrantes, ante os seis anteriores, dentro de um organograma que o banco acredita estar mais fortalecido.

As áreas de crédito e risco, que estavam sob o comando de Munhoz, ficarão com o vice-presidente Domingos Figueiredo de Abreu. Desde 2012, Abreu era responsável pela rede de atendimento, cartões, marketing e promotora. Agora, essa grande área foi desmembrada, já que o executivo também ganhou novas atribuições. O marketing, por exemplo, caberá a Minas daqui para a frente, assim como a rede ficou com Pancini.

Na reestruturação de janeiro de 2012, o Bradesco tinha buscado rejuvenescer o alto escalão, um processo que teve início com a chegada de Luiz Carlos Trabuco Cappi à presidência do banco, em 2009.

O Bradesco também tinha como objetivo o fortalecimento de sua área comercial, ao promover Munhoz, Aurélio Conrado Boni (infraestrutura tecnológica) e Sérgio Clemente (pessoas jurídicas).

Fonte: Valor Econômico
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − três =