Fortuna protegida em paraísos fiscais erradicaria duas vezes a pobreza no mundo

A riqueza financeira líquida global, tirando os imóveis, é calculada hoje em US$ 94,7 trilhões, dos quais US$ 18,5 trilhões se encontram estocados em paraísos fiscais. “Se essa fortuna avarenta pagasse impostos, os cofres públicos recolheriam cerca US$ 156 bilhões, quantia suficiente para erradicar duas vezes a pobreza extrema no mundo.” A observação é de Frei Betto, em seu comentário desta segunda-feira (3) na Rádio Brasil Atual.

O teólogo destaca estudo divulgado pela organização Oxford durante o Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em que associa sonegação fiscal e injustiça tributária como fatores determinantes da concentração de renda no mundo e da miséria no mundo. Frei Betto compara o evento de Davos a um “verdadeiro retiro pecuniário”, lembrando que 85 das personalidades ali presentes acumulam fortuna de US$ 1,7 trilhão – renda equivalente a de metade da população do planeta.

“A acumulação privada de riqueza significa que as bases da democracia estão sendo minadas. A renda média dos cidadãos dos Estados Unidos é hoje inferior à de 40 anos atrás. Ao contrario do esperado, nos últimos anos, as políticas impostas pelo donos do poder só aumentaram a desigualdade social.Desde o início da década de 1980, de 30 países pesquisados pela Oxford, em 29 os ricos pagam cada vez menos impostos.”

Ouça aqui o comentário de Frei Beto.

Fonte: RBA
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 − três =