Prazo final do II Censo da Diversidade é prorrogado até dia 9 de maio

O prazo para participar do II Censo da Diversidade foi prorrogado para o dia 9 de maio. A ampliação do calendário foi solicitada pela Contraf-CUT, na última reunião com a Fenaban, quando o Grupo de Trabalho (GT) do II Censo constatou a baixa participação da categoria na pesquisa.

Até a útima terça-feira (15), cerca de 95 mil bancários e bancárias responderam o questionário, o que representa apenas 19,67% do universo de 486 mil funcinários e funcionárias de 7 bancos públicos (BB, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia, Banestes, Banrisul, BNB e BRB) e 11 bancos privados (Bradesco, Citibank, Fibra, HSBC, BIC Banco, Itaú, Mercantil, Santander, Safra, Votorantim e Topázio).

Para Andrea Vasconcelos, secretária de Políticas Sociais da Contraf-CUT, com a ampliação do prazo será possível reverter este quadro.

"Os sindicatos têm mais tempo para intensificar as mobilizações e incentivar a maior participação dos bancários. As informações do II Censo são importantíssimas para construir mecanismos de combate às discriminações existentes dentro dos bancos, além de traçar políticas para enfrentar as desigualdades de gênero, raça, orientação sexual e de trabalhadores(as) com deficiência", ressalta a diretora da Contraf-CUT.

O II Censo foi uma conquista obtida na mesa de negociações da Campanha Nacional 2012, com preparação em 2013 e efetivação em 2014. Por isso, é fundamental que toda a categoria responda ao questionário, que está disponível no hotsite www.febraban-diversidade.com.br

Clique aqui para acessar o hotsite.

Responda no banco ou até em casa ou no celular

Todos os bancários, inclusive os licenciados por motivos de saúde, maternidade e mandato sindical, que estão na base de cadastro da RAIS, podem e devem participar da pesquisa.

O processo é rápido e seguro, as respostas são sigilosas e confidencias. O bancário pode responder no local de trabalho no banco ou em casa ou no celular. Não leva mais que oito minutos em média.

A exigência de CPF, data de nascimento ou matrícula completa permitem a entrada segura no sistema, a certificação de que o acesso é feito somente por bancários. O sistema está criptografado, o que significa que não há como rastrear individualmente os CPFs ou matrículas, logo não há risco de vazamento de informações.

"Com a possibilidade de responder online de qualquer lugar via celular e tabletes, é possível aumentar ainda mais o número de participantes", reforça Andrea.

Não deixe questionário pela metade

Foi detectado também que muitos bancários começam a responder às perguntas, mas por motivos diversos não concluem, ficando pela metade. Neste caso, é urgente retornar ao sistema e finalizar o processo para que as informações sejam contabilizadas. O questionário apresenta um total de cinco páginas.

"Orientamos os bancários a não deixarem a participação para a última hora, ajudando a construir um retrato mais real da categoria e assim garantir igualdade de oportunidades e de tratamento para todos", conclui Andrea.

Fonte: Contraf- CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − cinco =