Aumento real conquistado com greve é maior do que de outras categorias

Entre as principais categorias em campanha no segundo semestre, os bancários conseguiram conquistar um dos melhores aumentos reais. A proposta apresentada pelos bancos e aprovada pelos bancários representa ganho de 2,02% acima da inflação nos salários e PLR (índice de reajuste de 8,5%), 2,5% no piso (índice de reajuste de 9%), e 5,5% no vale-refeição (índice de reajuste de 12,2%).

Com os novos reajustes, os bancários acumulam aumento real de 20,7% nos salários e de 42,1% nos pisos desde 2004, período em que todos os anos conquistaram aumento acima da inflação.

Veja aqui o gráfico comparativo feito pelo Dieese.
http://www.contrafcut.org.br/download/Arquivo/14106181912.pdf

Esse é o maior ganho real não escalonado conseguido pela categoria desde 1995. Somados, vale-alimentação (R$ 431,16 ao mês) e vale-refeição (R$ 26 ao dia ou R$ 572 ao mês) vão representar ganho mensal de R$ 1.003 para os bancários.

Nos Correios, por exemplo, após o reajuste de 6,5% ou R$ 200 (o que for maior) conquistado para salários e verbas, esses valores passaram para R$ 971,96 ao mês.

Outras categorias

Os comerciários conseguiram reajuste de 8% para os salários, com aumento real de 1,55%. Na Petrobras o índice foi de 9,71%, o que representa ganho real de 2,33% a 3% somente até o 5º nível, acima disso apenas a inflação – sendo que eles têm 17 níveis.

Avaliação

"O ganho real no nosso piso, com o reajuste de 9% deste ano, soma 42,1% de aumento acima da inflação desde 2004. Com isso, o piso dos bancários passou a R$ 1.796,45: bem maior que a média dos pisos das demais categorias, que de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos) é de R$ 879,04", explica a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira.

"Isso é resultado da luta dos bancários ao lado do Sindicato. Assim temos avançado ano a ano, mantendo direitos e arrancando conquistas para a categoria", avalia a dirigente sindical.

Para o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro, "em mais uma grande demonstração de sua força, baseada na unidade nacional e na capacidade de mobilização, os bancários conquistaram com mais uma greve aumento real pelo 11º ano consecutivo, além de avanços importantes em relação às condições de trabalho, principalmente no combate às metas abusivas e ao assédio moral".

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 10 =