Lucro do Banco de Brasília recua e acumula R$ 101,8 mi até setembro

A exemplo do que ocorreu no primeiro semestre, quando o resultado do BRB decresceu comparativamente ao mesmo período de 2013, agora, com os números referentes ao 3º trimestre deste ano ocorre o mesmo. O banco apresentou no acumulado até setembro de R$ 101,8 milhões de lucro líquido, o que representa uma retração de 28,9% relativamente ao mesmo período de 2013.

A rentabilidade apresentada neste período foi de 11,93%, sendo que no mesmo período do ano passado esta rentabilidade estava em 20,45%.

"É triste o que vemos acontecer com o BRB. É o ato final de uma gestão sofrível de Paulo Evangelista, cuja demissão ocorreu agora no final de outubro, aliás, até agora sem explicações por parte do governador Agnelo", afirmou o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília, Antonio Eustáquio, que também é bancário do BRB.

O que chama atenção no resultado é o aumento expressivo das despesas de intermediação financeira (crescimento de 50%), frente a um crescimento modesto das receitas de intermediação (16%).

Outro aspecto é o aumento do provisionamento para devedores duvidosos, cujo percentual está descolado do que ocorre com o mercado, tendo ficado em 3,40% ante 2,80% do ano passado, representado um crescimento de 39%, o que carece de explicação por parte do banco.

"Esperamos que o futuro governador Rodrigo Rollemberg observe estes resultados decrescentes, alcançados por executivos nem sempre recomendados, vindos de outras instituições financeiras. Esta rota declinante é a afirmação categórica de como tem sido inconveniente trazer para o BRB presidentes de outros bancos. O Sindicato acredita que o BRB tem profissionais extremamente capacitados para sua gestão, o que certamente contribuirá para melhores resultados", finaliza Eustáquio.

Fonte: Seeb Brasília
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 7 =