Coral dos Demitidos em Curitiba mostra outro lado do HSBC no Natal

O Sindicato dos Bancários de Curitiba promoveu na manhã de quarta-feira (17) mais uma edição da paródia Coral dos Demitidos do HSBC. O protesto realizado em frente ao Palácio Avenida, onde fica a sede do banco inglês no Brasil, foi contra as demissões em massa feitas às vésperas do Natal.

A atividade fez um contraponto ao belo espetáculo apresentado todos os anos pelo banco, desde os tempos do Bamerindus, onde um coral formado por 160 crianças de instituições sociais cantam músicas natalinas nas janelas da sede do banco inglês e, junto com as 90 mil lâmpadas, shows com fogos de artifício, buscam transmitir uma mensagem de paz e esperança.

Na encenação dos bancários, dirigentes do Sindicato e da Fetec-CUT-PR se vestiram de anjos e cantaram paródias de músicas natalinas que foram reescritas para mostrar à população o descaso do HSBC com os bancários.

> Ouça aqui as músicas do Coral de Demitidos.

"Queremos lembrar à população que não somos contra a bonita festa, que é o espetáculo de Natal do HSBC. Nós só queremos deixar clara a hipocrisia do banco, que joga o custo do funcionário adoecido para a sociedade, que demite centenas de trabalhadores que vão passar o Natal desempregados", alertou Elias Jordão, presidente do Sindicato.

Foi recordado que a instituição quer passar a imagem de generosidade no Natal, mas que isso é só aparência, pois internamente os funcionários sofrem com o assédio moral, as metas abusivas e a falta de condições de trabalho. Além disso, com o processo de reestruturação em andamento, o banco demitiu trabalhadores, cortou postos de trabalho e, com isso, aumentou a pressão dentro das agências e prejudicou o atendimento aos clientes.

"Enquanto promove um belo espetáculo natalino, ressaltando a esperança e a solidariedade, o HSBC realiza demissões em massa de seus trabalhadores", afirma Elias Jordão, presidente do Sindicato, lembrando que o banco tem sido processado por práticas ilegais, como lavagem de dinheiro, fraude, evasão fiscal, espionagem de funcionários, manipulação de mercados e tráfico de drogas.

Além da preocupação com o emprego do bancário, o Sindicato também fez um alerta quanto ao descaso do banco com clientes e usuários. "Nós também lutamos por respeito à população, já que o HSBC ignora e vira as costas para a sociedade, não se importando com as filas e os juros altos", afirmou Cristiane Zacarias, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC.

Ela recordou que o banco realiza a apresentação de Natal com financiamento público através da Lei Rouanet e de convênio com a Prefeitura. "O espetáculo é muito bonito, mas é só da janela para fora. O banco diz apoiar durante o ano as famílias e as crianças que se apresentam, mas não se preocupa com os funcionários e suas famílias", comparou.

"É inadmissível que o HSBC continue sendo visto como um banco responsável, incentivador da cultura e preocupado com questões sociais de famílias carentes, quando, na verdade, assedia os funcionários e os demite às vésperas do Natal", concluiu Cristiane.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Curitiba
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − sete =