Câmara de Vereadores de Caxias do Sul aprova moção de contrariedade à abertura do capital da Caixa Econômica Federal

O vereador Pedro Incerti/PDT levantou durante a sessão representativa desta terça-feira (27/01), a discussão em relação às últimas notícias veiculadas na imprensa brasileira e que dão conta de que o governo federal estaria analisando a abertura do capital da Caixa Econômica Federal. Para ampliar o debate, Incerti, que também é um dos diretores do Sindicato dos bancários de Caxias do Sul e Região, protocolou uma moção de contrariedade que foi aprovada por unanimidade.

No texto da moção, o vereador defende que considerando que a Caixa representa um centenário e importantíssimo instrumento de desenvolvimento e fortalecimento da sociedade brasileira, sobretudo das classes mais necessitadas, e que privatizá-la seria o fim como banco público.

"Retirar qualquer parcela do capital da Caixa e repassá-la para a iniciativa privada certamente representaria o fim do inestimável papel social que vendo perpetrado ao longo das décadas por essa instituição", destacou o parlamentar.
Para o vereador, se ocorrer, a medida representará um duro golpe ao povo brasileiro, uma traição àqueles que nas últimas eleições presidenciais foram às urnas convencidos pelas promessas da campanha da presidente, especialmente, após todo o embate ocorrido durante as eleições, oportunidade em que Dilma Rousseff disse que qualquer medida neste sentido só seria adotada por seus adversários.

A moção será encaminhada para diversas autoridades, como a presidente Dilma Rousseff, o Presidente do Senado Federal, Renan Calheiros; o Presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Fontes Hereda, entre outros. Além de entidades como as Centrais Sindicais do Brasil CUT, CTB, Força Sindical, NCST, CSB e UGT, Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec), Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), entre outras.

Fonte: Assessoria de Imprensa Câmara de Veradores de Caxias do Sul
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =