Para Anamatra, terceirização é desmonte radical de direitos básicos

A Anamatra continua manifestando posição contrária à aprovação do PL 4330/2004, em tramitação na Câmara dos Deputados, que trata da terceirização, por entender que precariza as relações de trabalho, entendendo como precarização a perda de qualidade dos postos de trabalho.

Em dois artigos publicados no domingo (5) e nesta segunda-feira (6), o presidente da Anamatra, Paulo Luiz Schmidt, e o vice-presidente Germano Siqueira voltam a manifestar preocupação com a tramitação do projeto, que poderá ter sua votação na sessão de amanhã (quarta-feira) da Câmara dos Deputados.

Com o título "A vaca vai tossir na Câmara dos Deputados", o artigo do presidente da Anamatra foi publicado no blog do jornalista Fred Vasconcelos, abrigado no portal da Folha de S. Paulo.

"Jamais o país assistiu a uma tentativa de desmonte tão radical dos direitos básicos consagrados na Constituição Federal e na vasta legislação trabalhista que as lutas sociais produziram no último século", afirma Paulo Schmidt.

Leia o artigo na íntegra aqui

O site especializado Consultor Jurídico publicou, nesta segunda-feira, artigo do juiz Germano Siqueira, intitulado "Há no Projeto de Lei sobre terceirização ampla \’disputa por dinheiro\’".

"É preciso ser claro e transparente para informar à população que o benefício econômico (o proveito da "disputa por dinheiro") reverterá em favor dos empresários que hoje contratam trabalhadores diretamente e que passariam a terceirizar essa mão-de-obra, pagando salários inferiores", afirma o texto.

Fonte: Anamatra
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =