Bancários da Bahia e do Sergipe aprovam 10% de aumento real

Cerca de 300 bancários participaram dos dois dias da 17 º Conferência Interestadual dos Bancários da Bahia e do Sergipe, realizada neste final de semana no hotel Portobello, em Salvador. Foi aprovada por unanimidade a minuta para a próxima campanha salarial 2015. O índice de aumento real aceito foi de 10%, mais a inflação em torno de 8 a 8,5%, o que mostra uma proposta avançada dos bancários.

Para Augusto Vasconcelos, presidente do Sindicato da Bahia, a expectativa é boa porque a decisão do índice foi feita de forma unificada. "A pauta aprovada por unanimidade reflete o alto grau de unidade e a qualidade dos debates realizados nesta Conferência aponta para uma pauta avançada tanto nas questões de emprego e plano de carreiras, como nas questões de condições de trabalho, saúde e segurança", analisou.

Além do reajuste, outras demandas foram decididas: a participação dos lucros e resultados (PLR) de 25% do lucro líquido linear, piso igual ao do Dieese, reposição das perdas salariais, valorização dos dirigentes sindicais e demais cláusulas de segurança e saúde. O fim das metas e do assédio moral também foram bastante lembrados pelos trabalhadores da base.

Delegados

Outra decisão do encontro foi a escolha dos delegados para a Conferência Nacional. Um total de 29 vagas foram disponibilizadas para a região. Destes, nove serão da base do Sindicato da Bahia e cinco para o Sindicato de Sergipe. Das demais vagas, Vitória da Conquista ficou com três, Feira de Santana com três, Itabuna com duas e Irecê, Barreiras, Camaçari, Ilhéus, Jequié, Juazeiro, Jacobina com um representante cada.

Conferência teve repúdio e aplausos

Uma das finalidades da Conferência dos Bancários é também posicionar a categoria contra e a favor de temáticas atuais no Brasil e também dentro do movimento sindical. No encerramento da 17ª reunião interestadual, a categoria aprovou uma moção de repúdio e uma calorosa salva de palmas para questões totalmente distintas: a moção de repúdio aprovada por unanimidade foi contra os atos misóginos sofridos pela presidente Dilma Rousseff nas últimas semanas. Adesivos publicados nas redes sociais com a foto de Dilma de pernas abertas foram veementemente criticados por todos os bancários presentes. Já a demorada salva de palmas foi em homenagem ao ex-presidente do Sindicato de Sergipe José Souza, que faleceu no ano passado.

Emocionado, o presidente da Federação da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza, afirmou que um minuto de silêncio havia sido pedido, mas isso não fazia parte do perfil do militante. "As salvas se parecem mais com José Souza. É mais barulhento. Souza é daqueles imprescindíveis. Sempre estará presente", concluiu.

Fonte: Contraf-CUT

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 2 =