Contraf e CUT discutem organização da Década dos Afrodescendentes

Os secretários de Combate ao Racismo da Contraf, Almir Aguiar, e da CUT, Julia Nogueira, e o secretário de Relações Internacionais da central sindical, Antonio Lisboa, se reuniram nesta segunda-feira (13), no Itamaraty, em Brasília com Alexandre Ghisleni, diretor do Departamento de Direitos Humanos e Temas Sociais do Ministério Relações Exteriores, e Márcia Canário de Oliveira, da Divisão de Direitos Humanos do mesmo órgão, para discutir a Década Internacional dos Afrodescendentes, instituída pela ONU em janeiro. O Ministério das Relações Exteriores está à frente desse debate.

O Ministério das Relações Exteriores sugeriu, entre outras medidas, que sejam articuladas ações em conjunto com artistas brasileiros e sindicatos da área.

Segundo o secretário da Contraf Almir Aguiar, a CUT tem um papel fundamental neste debate. "Os trabalhadores em situação mais precarizadas são negros. E no próprio setor bancário, os negros têm muito mais dificuldade para a ascensão profissional do que o trabalhador branco", afirmou. Os dirigentes da Contraf e da CUT se reuniram também com a presidenta da Fundação Palmares, Cida Abreu, para discutir o mesmo tema. Cida abreu destacou a importância da CUT e da Contraf neste debate.

Fonte: Contraf-CUT
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 9 =