oCUT-RS e entidades realizam jornada de lutas contra tarifaço de Sartori

A CUT-RS, entidades sindicais e movimentos sociais do Rio Grande do Sul realizarão, no próximo dia 22 de setembro, um dia estadual de lutas com greves, paralisações e protestos contra as políticas neoliberais do governo José Ivo Sartori (PMDB). A iniciativa, proposta pela executiva da CUT-RS, foi aprovada na tarde desta quarta-feira (9) durante reunião da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), que debateu a conjuntura política no País e no Estado. Neste dia, a base aliada do governo pretende votar na Assembleia Legislativa a proposta de aumento do ICMS, o tarifaço do Sartori, e outras medidas do ajuste fiscal proposto pelo governo.

"Há vários setores da sociedade indignados e preocupados com essa proposta de aumento de imposto. Vai aumentar o diesel para a agricultura familiar, a gasolina e a energia elétrica, entre outros preços. O pessoal está com muita disposição de ir para a rua e decidiu organizar um dia estadual de paralisações e protestos. No dia 22 não serão só servidores públicos na rua, será um dia de luta dos trabalhadores e das trabalhadoras do Rio Grande do Sul”, diz Claudir Nespolo, presidente da CUT-RS.

A ideia de sindicatos e movimentos sociais é promover manifestações em várias cidades do Estado contra as propostas de extinção de fundações, de sucateamento de serviços públicos, de arrocho salarial e de aumento linear de impostos. "O Rio Grande do Sul vai parar no dia 22”, garante Claudir. "Pela parte da manhã faremos grandes atos e paralisações, e, a partir do meio-dia, nos concentraremos na Praça da Matriz para fazer um debate público com os deputados sobre a questão do financiamento do Estado, na lógica do ‘larga o pé do servidor e vai pegar sonegador’”, acrescenta o dirigente da CUT. A partir desta quinta-feira (10), a Coordenação dos Movimentos Sociais começará a definir junto com os sindicatos dos servidores públicos a organização desta jornada estadual de mobilizações.

Frente em Defesa do Patrimônio do Povo Gaúcho

Outros atos estão programados para os próximos dias em defesa dos serviços públicos e contra as propostas de desmonte do Estado. A Frente em Defesa do Patrimônio do Povo Gaúcho, integrada pela CUT-RS, SindBancários, Fetrafi-RS, Sindiágua, Senergisul, Sintec-RS e Aapergs, será lançada oficialmente nesta sexta-feira (11), às 12h, em frente ao edifício-sede do Banrisul, onde também funciona a administração da Corsan, no centro de Porto Alegre. A data marca o aniversário de 87 anos do banco público do Rio Grande do Sul.

O ato de lançamento terá distribuição de fatias do bolo de aniversário do Banrisul e o abraço simbólico ao prédio, simbolizando a união e o compromisso dos funcionários e da população com a defesa do patrimônio público. Além disso, será apresentada a campanha de mídia "Não deixe privatizar o que é teu – Nosso patrimônio não é mercadoria”. As entidades soltarão centenas de balões com as cores da bandeira do Rio Grande do Sul, chamando a sociedade a participar da luta contra a tentativa de venda das empresas públicas.

Fonte: CUT/RS com Sul 21
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 9 =