Fenaban insiste em proposta rebaixada. Comando rejeita e greve continua

Em mais uma rodada de negociação com o Comando Nacional dos Bancários, na tarde desta quarta-feira (21), no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, a Fenaban apresentou uma proposta de reajuste salarial rebaixada, de 8,75%. Bem abaixo das reivindicações da categoria, a proposta foi rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários ainda na mesa e a greve continua.

O Comando Nacional reafirmou que quer negociar aumento real. De acordo com Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional, a mobilização e determinação da categoria em defender a reposição da inflação mais ganho real fez com que os banqueiros retomassem à mesa de negociação. “Isso já é um avanço. Mas, continuamos a orientar os sindicatos a manter a nossa unidade e forte mobilização. Para nos levar a uma proposta mais digna.”

A Fenaban não se comprometeu em debater sobre um novo índice antes de se reunir com os bancos. As negociações voltam nesta quinta-feira (22), às 14h, no mesmo local.

“A greve está forte e a expectativa dos bancários é uma proposta melhor. É importante a retomada das negociações e que ela continue até que possamos entrar em acordo”, disse Juvandia Moreira, vice-presidenta da Contraf-CUT e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

Em seu 16º dia, a greve da categoria chega nesta quarta-feira (21) com 12603 agências e 35 centros administrativos com suas atividades paralisadas em todo o País.

Tuitaço!

A greve continua com a mesma intensidade desde o seu primeiro dia. O Comando orienta um grande tuitaço para esta quinta-feira (22), para que a mobilização arranque uma proposta decente dos bancos.

Banqueiros, apresentem uma proposta decente! Sem ganho real a greve continua. #Exploraçãonãotemperdão!

Principais reivindicações dos bancários:

– Reajuste salarial de 16%. (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real)

– PLR: 3 salários mais R$7.246,82

– Piso: R$3.299,66 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

– Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

– Vale-refeição: R$ 34,26 ao dia

– 14º salário

– Garantia de emprego e ampliação das contratações

– Fim das metas abusivas e do assédio moral

– Combate à terceirização em pauta no Congresso Nacional

– Reforma política e fim do financiamento privado para campanhas eleitorais

– Reforma tributária

– Democratização dos meios de comunicação

– Defesa da Petrobras (não à quebra do sistema de partilha)

– Defesa da democracia e dos direitos

– Contra a criminalização dos movimentos sociais

 

Fonte: Contraf-CUT
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 18 =