Lucro do Bradesco nos últimos nove meses é de R$13,3 bilhões e banco continua a cortar empregos

O lucro líquido ajustado do Bradesco teve crescimento de 18,6 % nos nove primeiros meses do ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Porém, o banco continua a cortar postos de trabalho. Em um período de 12 meses, os empregos decaíram 5,2%. É o que mostra o balanço do terceiro trimestre divulgado nesta quinta-feira (29).

A receita com prestação de serviço e tarifas bancárias cresceu 13,5% em doze meses, totalizando R$18,2 bilhões e cobrem em 168,3%, as despesas com pessoal, que foi de R$11,2 bilhões. Ou seja, o banco paga integralmente os salários dos seus trabalhadores somente com as tarifas e ainda sobra dinheiro.

Veja, abaixo, a análise do balanço elaborada pelo Dieese.

 

Destaques das Demonstrações Financeiras do Banco Bradesco – 3º trimestre de 2015

Nos nove primeiros meses de 2015, o Lucro Líquido Ajustado do Banco Bradesco chegou a R$ 13,3 bilhões, com um crescimento de 18,6% em relação ao mesmo período de 2014. O retorno anual sobre o Patrimônio Líquido médio ajustado foi de 21,2% e registrou crescimento de 0,8 p.p. em doze meses.

As Operações de Crédito cresceram 6,8% em doze meses e 2,4% no trimestre, atingindo um montante de R$ 474,5 bilhões. As operações com pessoas físicas cresceram 5,2% em relação a setembro de 2014 chegando a R$ 145,2 bilhões, enquanto as operações com pessoas jurídicas alcançaram R$ 329,3 bilhões, com elevação de 7,5% no período.

O Índice de Inadimplência superior a 90 ficou em 3,8% com alta de apenas 0,2 p.p. Mesmo assim, o banco elevou suas despesas com provisões para créditos de liquidação duvidosa (PDD) em 49,2% que atingiram o montante de R$ 15,9 bilhões.

O crescimento do resultado com Títulos e Valores Mobiliários foi diretamente influenciado pelos sucessivos aumentos na taxa Selic, com alta de 40,6%, perfazendo um total de R$ 33,5 bilhões.

A receita com prestação de serviços mais a renda das tarifas bancárias cresceu 13,5%% em doze meses, totalizando R$ 18,2 bilhões. Já as despesas de pessoal subiram, apenas, 3,2%, chegando a R$ 11,1 bilhões. Com isso, a cobertura dessas despesas pelas receitas secundárias do banco ficou em 163,3% no 3º trimestre de 2015 (14,8 p.p. a mais que em setembro de 2014).

O número de empregados na holding em setembro de 2015 foi de 93.696 com corte de 5.153 postos de trabalho (-5,2%) em doze meses. De acordo com o banco, em novembro de 2014, ocorreu a transferência de 2.431 funcionários da Scopus Tecnologia para a IBM Brasil, que foi vendida. Foram fechadas 66 agências e 845 unidades do correspondente bancário Bradesco Expresso.

 

Itens

3tri2015

3tri2014

Variação

Ativos Totais

1.050.983

987.364

6,4%

Operações de Crédito

474.488

444.195

6,8%

Patrimônio Líquido

86.222

79.242

8,8%

Rentabilidade (LL/PL)

21,2%

20,4%

0,8 p.p.

Resultado com TVM*

33.543

23.859

40,6%

Lucro Líquido Ajustado

13.311

11.227

18,6%

Rec. Prest. Serviços + Rendas de Tarifas (RPS)

18.170

16.003

13,5%

Despesa de Pessoal (DP)

11.128

10.779

3,2%

Cobertura RPS /DP

163,28%

148,46%

14,82 p.p.

Taxa de Inadimplência

3,8%

3,6%

0,2 p.p.

Despesas de PDD

15.923

10.671

49,2%

Índice de Basileia

14,5%

16,3%

-1,8 p.p.

Agências

4.593

4.659

-66

Bradesco Expresso (correspondentes)

48.175

49.020

-845

Número de Empregados

93.696

98.849

-5.153

Fonte: Demonstrações Financeiras do Banco Bradesco (3º trimestre de 2015).

*Título e Valores Mobiliários **Receitas geradas pelos recursos que ficam retidos no Banco Central.

Elaborado pela Rede Bancários – DIEESE.

 

 

Fonte: Contraf-CUT e Dieese 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 11 =