Representante dos bancários repudia a abertura do processo de Impeachment contra a presidenta da República, Dilma Rousseff

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) repudia a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, de aceitar abrir processo de impeachment contra a presidenta da República, Dilma Rousseff.

Dilma Rousseff foi eleita democraticamente pelo povo num processo eleitoral muito disputado e duro. Seu mandato vem sendo alvo de ações revanchistas e golpistas por parte dos que foram derrotados na ocasião e acreditam ser possível mudar o resultado desrespeitando as urnas.

Para a Contraf-CUT, esta decisão está sendo tomada na contramão da agenda do País e, muito pior, tomada com propósitos diferentes das suas finalidades, por um deputado que está numa situação constrangedora e sem condições de continuar a presidir a Câmara.

Configura claramente uma manobra para desviar o foco das atenções dos problemas do próprio deputado em relação as acusações de corrupção que vêm sendo reveladas ao público.

O processo de impeachment não tem origem em crime de responsabilidade tipificado na Constituição, nem existe qualquer acusação contra a presidenta que permita o início de um processo com tal radicalidade. Prosseguindo, poderá tumultuar o Parlamento e estremecer a nossa frágil democracia.

Os trabalhadores não suportam mais a agenda da crise interferindo na economia.

Precisamos tirar da pauta a disputa eleitoral e voltar a discutir como crescer, como gerar emprego, como melhorar a renda, voltar a incluir pessoas. Essa é a agenda que os trabalhadores querem.

Fonte: Contraf-CUT
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =