Sindicato de Londrina paralisa quatro agências contra demissões em massa no Itaú

O Itaú, campeão em lucros e também em demissões injustificadas, iniciou 2016 com o corte de cinco funcionários. Para combater essa política de enxugamento do quadro de pessoal com o objetivo de elevar ainda mais seus ganhos, o Sindicato dos Bancários de Londrina paralisou nesta quarta-feira (13) quatro agências do banco.

Os protestos estão ocorrendo na unidade da Rua Senador Souza Naves e nas três localizadas na Avenida Tiradentes. Com faixas, a diretoria do Sindicato denuncia a ganância do Itaú e manifesta seu repúdio a esse verdadeiro massacre aos empregos da categoria.

“Não toleramos o fechamento de agências e nem mesmo o corte de funcionários, o que só vai agravar ainda mais o atendimento à população e as condições de trabalho nas agências”, afirmou Regiane Portieri, presidenta do Sindicato dos Bancários de Londrina.

Segundo Regiane, no ano passado foram registradas 84 dispensas de bancários e bancárias e o Itaú foi responsável por 37 delas, o que representa quase metade do total das que foram efetuadas pelas demais instituições financeiras que operam na cidade.

“Se for comparar com o Bradesco, que demitiu 15 funcionários em 2015, veremos que o Itaú cortou mais do que o dobro de bancários e bancárias do que seu principal concorrente”, apontou.

Para complicar ainda mais a situação, a presidente do Sindicato dos Bancários de Londrina afirma que que o banco vai fechar três agências na Região, a localizada no alto do Calçadão, onde era o Banestado, e as unidades de Rancho Alegre e de Tamarana, que foram alvos de explosivos recentemente.

“O Itaú não está nem um pouco preocupado com o que isso significa para a população. Resolveu fechar as portas de agências, reduz o número de funcionários e deixa todo mundo na mão”, criticou.

Fonte: Seeb Londrina
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − sete =