Banrisul aparece de mãos vazias em negociação específica

Para quem esperava boa vontade do Banrisul na primeira rodada de negociação específica da Campanha Salarial 2016, ficou apenas a frustração. Os representantes do Banco vieram para reunião na sede da Fetrafi-RS de mãos vazias. Além de negar a possibilidade de encaminhar negociações efetivas – com avanços em relação às reivindicações apresentadas pelos banrisulenses – o Banco ainda propôs a retirada do banner que permite aos funcionários o acesso direto ao site da Federação, através da Intranet Banrisul. A medida impediria a comunicação direta entre trabalhadores e movimento sindical.

No início da negociação, os dirigentes sindicais reiteraram a importância e a coerência da pauta dos trabalhadores da instituição, diante do bom momento financeiro do Banrisul. O Banco encerrou os seis meses iniciais do ano com lucro líquido de R$ 389,6 milhões, valor 14,6% acima do apurado no mesmo período de 2015.

Embora os resultados registrados pelo Banrisul sejam muito positivos, os negociadores do Banrisul alegaram a necessidade de cautela, usando a crise econômica como desculpa para o freio nas negociações.

O argumento não foi aceito pelo Comando dos Banrisulenses, que lembrou uma publicação ufanista do Banco, veiculada através do informativo Afinidade nº 34, em abril deste ano. Na ocasião, a diretoria do Banrisul tomou partido em defesa do impeachment da então presidente Dilma, com perspectivas positivas para o mercado financeiro, a partir do golpe parlamentar em andamento na época. “Por aqui, a cena política segue determinando o clima dos negócios. Desta vez, contudo, instalando um tom positivo frente ao avanço das investigações no âmbito da Operação Lava-Jato e ao aumento das chances de interrupção do mandato presidencial, o que repercutiu em considerável apreciação do Real frente ao Dólar e em valorização do Ibovespa, principal indicador do desempenho de nosso mercado acionário”, dizia o documento.

Negativas sucessivas

O Comando insistiu na negociação de vários itens da pauta, mas o Banco negou todas as reivindicações apresentadas pelos banrisulenses na mesa de negociação, com destaque para o Plano de Carreira, prioridade dos trabalhadores nesta Campanha. “Não vislumbramos agora a possibilidade de negociar esse tema”, afirmou o superintendente de Gestão de Pessoas, Gaspar Saikoski.

Veja as principais reivindicações apresentadas pelo Comando

:: Melhoria da PLR Banrisul – NEGADO

:: Reabertura do Processo de Migração da Fundação Banrisul – NEGADO

:: Mais contratações de funcionários concursados – NEGADO

:: Fim do assédio moral e da violência organizacional – NEGADO

Compromisso formal

Durante a negociação específica, o Banrisul limitou-se a manter o compromisso de seguir o que for acordado na mesa geral com a Fenaban, mantendo os direitos já garantidos através do Acordo Coletivo anterior.

Avaliação do Comando

Diante das negativas do Banrisul na negociação específica, o Comando dos Banrisulenses orienta a adesão massiva dos trabalhadores do banco à greve nacional da categoria. Para a representação dos bancários, não há sustentação nos argumentos utilizados pelos negociadores do Banco para ignorar de maneira integral as reivindicações apresentadas. O Comando convoca os banrisulenses à greve a partir do dia 06 de setembro, para enfrentar o descaso do Banrisul na mesa específica. “Só a luta te garante!”

Fonte: Comunicação/Fetrafi-RS

Texto e Fotos: Marisane Pereira – Mtb/RS9519 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =