Migração do HSBC para Bradesco gera caos para funcionários e clientes

Para o Bradesco, a fusão com o HSBC está completa e bem-sucedida. A declaração dada aos meios de comunicação nesta semana está no mínimo equivocada ao ser confrontada com realidade de caos nas agências, relatada por clientes e funcionários do banco, desde o dia 8 de outubro, quando foi efetuada a migração de 5 milhões de correntistas que eram do banco inglês para o Bradesco.

Enquanto os clientes reclamam falhas nas contas, inclusive para receber os salários, atraso na entrega de cartões e dificuldades em acessar a internet banking, quem paga o pato também são os funcionários. Bancários relatam que estão sem período de almoço, realizando jornadas extenuantes, muitas acima de 10 dez horas, com sobrecarga de trabalho e vários outros problemas.

Diante do caos, a Contraf-CUT enviou ofício ao Bradesco solicitando reunião com o banco, o quanto antes, para discutir a incorporação e seus impactos. Mas ainda não houve retorno. 

Carlindo Dias (Abelha), secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT e funcionário do Bradesco, ressalta que o banco está implantado a fusão ‘a toque de caixa’ e que a falta de planejamento adequado prejudica os bancários e os clientes.

"Estão chegando relatos que configuram exploração, com jornadas desumanas e condições de trabalho inadequadas.E como só a pressão faz o banco compreender a situação, faremos manifestações e paralisações em todo o paísdenunciando o que vem acontecendo. Obanco precisa entenderque um processo de fusão como este não pode ser feito desta forma, levando os trabalhadores à exaustão. Aguardamos a resposta do Bradesco, sobre o nosso pedido de reunião, o quanto antes. É urgente”, reforça.

"É inadmissível que um banco do porte do Bradesco não tenha até o presente momento resolvido estes problemas. O que vem acontecendo com funcionários e clientes é um desrespeito. Queremos nos reunir com o Bradesco ainda esta semana, dependendo apenas do retorno do banco”, afirma Sérgio Siqueira, diretor da Contraf-CUT, ex-funcionário do HSBC,atualmente no Bradesco.

 

Fonte: Contraf-CUT com edição da Fetrafi-RS
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 18 =