Deputado Sergio Turra quer acabar com plebiscito para venda do Banrisul

PEC apresentada pelo deputado recebeu 24 assinaturas e deve tramitar na Assembleia Legislativa

O Clic RBS publicou na noite desta terça-feira, 11 de setembro, a notícia de que o deputado Sergio Turra (PP) protocolou na Assembleia Legislativa uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para retirar da lei estadual a exigência de realização de plebiscito popular para decidir sobre a privatização do Banrisul, Corsan e Procergs.

Turra reuniu 24 assinaturas para colocar a PEC em tramitação. Para ser aprovada, porém, precisa de 33 votos. Há poucos meses, os deputados aprovaram proposta no mesmo sentido, de autoria do governo do estado, em relação à CEEE, Sulgás e CRM. Cabe lembrar que exigência do plebiscito foi uma conquista dos sindicatos das categorias e da Fetrafi-RS, que temiam a entrega do patrimônio público durante o governo de Antônio Brito.

A venda do Banrisul é considerada a “cereja do bolo” da série de privatizações promovidas pelo governador Eduardo Leite. Embora afirme desde a campanha para o governo do estado que não tem intenção de vender o Banco, o Banrisul vem sendo fatiado poupo a pouco. A mais nova oferta de ações será para pagar a folha do funcionalismo público.

Os Banrisulenses realizam no próximo sábado um encontro nacional no qual discutirão o tema e estratégias para barrar a venda. “O governo do estado diz que não vai privatizar, mas vem sucateando agências e sobrecarregando funcionários. Mesmo assim, ainda somos referência em bom atendimento na capital e no interior”, destaca a diretora de Formação da Fetrafi-RS e funcionária do Banrisul, Ana Maria Betim Furquim.

“Hoje, o Banrisul é o banco com mais agências no estado. Em 103 municípios, é o único banco. Se for vendido, muitas devem ser fechadas, pois não é de interessa da iniciativa privada manter agências em cidades pequenas”, alerta a também diretora da Fetrafi-RS e funcionária do Banrisul Denise Falkenberg Corrêa.

Fonte: Fetrafi-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + dezoito =