Funcionários cobram negociação sobre Limaca e coparticipação na Cassi

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e demais entidades de representação dos funcionários da ativa e aposentados do Banco do Brasil (AAFBB, ANABB e FAABB) se reúnem no próximo dia 25 de março com a diretoria da Caixa de Assistência dos Funcionários (Cassi) para debater sobre a redução dos valores de coparticipação e a revisão da Lista de Materiais e Medicamentos Abonáveis da Cassi (Limaca).

Para as entidades de representação dos trabalhadores este é um debate prioritário, uma vez que já cobraram várias vezes da Cassi sobre estes assuntos. Inclusive na posse do novo diretor, neste ano, foi enviado um ofício cobrando que o diretor Flesch cumpra com o que se comprometeu em sua campanha eleitoral: reduzir a coparticipação.

A realização das reuniões com as entidades representativas de funcionários da ativa e aposentados do BB é um compromisso assumido desde a negociação da proposta de sustentabilidade da Cassi. Também é uma oportunidade para o acompanhamento da evolução financeira da Cassi e para o esclarecimento de dúvidas dos associados sobre temas como coparticipação, assistência farmacêutica, atenção integral à saúde e a situação dos funcionários dos bancos incorporados.

As entidades de representação dos funcionários esperam que o debate seja realizado com seriedade, uma vez que, tanto a não revisão da Limaca, quanto a não redução dos valores de coparticipação, afetam muito os associados da Cassi, que estão entre os representados das entidades. Além disso, lembram que a coparticipação é um ponto que onera apenas os associados e isenta o banco.

Coparticipação

Na última reunião, os representantes dos funcionários questionaram o fato da diretoria da Cassi não ter se manifestado objetivamente sobre a coparticipação e cobraram uma definição sobre o compromisso, assumido em Mesa de Negociação, para a retomada dos índices de coparticipação aos patamares de 2018.

Após a cobrança, a diretoria da Cassi se comprometeu em fazer um levantamento de dados sobre a coparticipação, que será apresentado na reunião do dia 25.

Assistência farmacêutica

As entidades também aguardam posicionamento sobre a revisão da Limaca, já que muitas patologias severas e recorrentes foram excluídas do programa e a lista de materiais e medicamentos abonáveis teve redução da ordem de 70%.

A decisão de reduzir o fornecimento de medicamentos aconteceu no início de 2020, logo após as negociações com as entidades sobre a proposta de sustentabilidade.

A Cassi se comprometeu a apresentar uma proposta de revisão da Limaca até maio.

Fonte: Contraf-CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + dezessete =