Delegação gaúcha do Itaú Unibanco quer discutir direitos básicos como saúde e previdência em Encontro Nacional

O Encontro Estadual dos(as) Empregados(as) do Itaú Unibanco do Rio Grande do Sul ocorreu na última quinta-feira, 29 de julho, pelo Zoom, e debateu questões pontuais do banco, além de conjuntura nacional e um balanço da pandemia. A delegação de sete delegados(as) do estado levará suas deliberações ao Encontro Nacional que ocorre nesta quinta-feira, 5 de agosto.

O diretor da Fetrafi-RS e membro do Comando Nacional dos Bancários, Juberlei Bacelo, apresentou a análise da conjuntura. Ele destacou que por não ser ano de campanha salarial, os encontros por bancos têm como objetivo discutir questões que vão além das reivindicações da categoria.

“Este ano nos encontros, sem a pressão de renovar a CCT, é possível discutir questões para que a categoria seja parceira na transformação do país. Cabe a nós ter resistência no momento. Ou a gente vai continuar perdendo nossos empregos e ver nossa vida indo embora, como aconteceu com muitos colegas nesta pandemia”, ressaltou o diretor da Fetrafi-RS.

“Garantia de emprego deve ser ponto-chave”

O coordenador da Comissão de Organização dos Empregados do Itaú Unibanco (COE/Itaú Unibanco), Jair Alves dos Santos, deu um panorama da mesa de negociações permanente com o Banco e enfatizou a boa interlocução. “O Itaú nunca se negou a sentar com os funcionários e discutir. O acordo que fizemos sobre as horas negativas garantiu a manutenção do emprego de um grande número de funcionários nesta pandemia”, afirmou.

Contudo, reconheceu que o emprego continua sendo um ponto importante nas discussões com o Banco, devido as mudanças no plano de negócios do Itaú, que privilegiam a digitalização. “A garantia do emprego deve ser um dos pontos-chaves na mesa de negociação, porque todos os bancos estão demitindo”, frisou.

Outro ponto que preocupa a COE é o programa GERA, que vem causando muitos problemas aos bancários do Itaú Unibanco. “O Banco ter perdido funcionários com esse novo programa. Mas vamos levar uma proposta de acordo para definir as metas e colocar todos os direitos e deveres de cada um dentro do GERA.”

“Tema da saúde é essencial”

O secretário de Saúde da Contraf-CUT, Mauro Salles, fez uma retrospectiva das medidas adotadas pelos bancos quanto à Covid-19, a partir da cobrança do Comando Nacional dos Bancários. Segundo ele, as medidas protetivas devem ser mantidas, mas em um protocolo único. “Vamos conviver com a pandemia ainda por um bom tempo”, acredita.

Salles apresentou os argumentos que levaram o Comando a solicitar prioridade na vacina para a categoria bancária e ser atendido por uma normativa do Ministério da Saúde no Plano Nacional de Imunização. Ele lembrou, ainda, que a Covid-19 deixa muitas sequelas cognitivas, dificuldades motoras, além de receios e medos que impactam na saúde mental dos bancários e que, portanto, é preciso discutir como tratar os funcionários que foram infectados pelo coronavírus.

O secretário de Saúde da Contraf-CUT divulgou uma pesquisa que está sendo realizada em parceria com a Unicamp sobre os efeitos neurológicos da Covid-19 e que terá um corte para os bancários. Saiba mais sobre o estudo neste link.

Propostas

O representante da Fetrafi-RS na COE/Itaú Unibanco, Eduardo Muchoz (Dudu), relatou as pautas que deverão ser debatidas pela delegação que irá ao Encontro Nacional dos(as) Empregados(as) do Itaú Unibanco, no dia 5 de agosto.

Veja os pontos principais:

Homologação – desconto aviso prévio

Devido a perda de funcionários para a concorrência, o Banco está numa política de desconto do aviso prévio de quem está pedindo demissão. “Trata-se de uma política anti-sindical e não vem se enquadra no que a COE vem discutindo com o Banco, que é tentar um acordo e debater todas as questões como esta”, explica Dudu.

“Sabemos que a CLT permite que o Empregador desconte mas estamos falando no âmbito de negociações que perpassam a COE e todos os desdobramentos que temos feito para os trabalhadores do Itaú, pois trata-se de uma deliberação do Empregador que nunca descontou e agora decide descontar.”, completa.

Plano de Previdência: Trevo Ibss X Futuro Inteligente

Há uma cobrança dos funcionários sobre atualizações mensais a respeito do Plano de Previdência e questionamentos sobre fluxo documental. Em vista disso, a proposta da delegação gaúcha é cobrar do Banco o envio dos seguintes documentos e não somente as informações que estão no site (pois são limitadas):

– síntese dos planos implantados/alterados e migrados a partir dos anos 2000;

– estatuto da entidade administradora dos planos de benefícios;

– regulamentos dos planos de benefícios que se sucederam no tempo, até o atual;

– termos de adesão/migração implementados;

– existência ou não de ação(ões)  judicial(is) a respeito do tema.

 

Fonte: Fetrafi-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =