O Movimento “Arena NÃO”, organizado em Caxias do Sul, que busca impedir a refundação do extinto partido da época da ditadura militar brasileira (o Arena) organiza um ato de protesto para a próxima segunda-feira, dia 10 de dezembro. A atividade ocorrerá no centro da cidade, na praça Dante Aliguieri (Júlio de Castilhos, Caxias do Sul – RS), às 18h.

Refundação da Arena – A refundação do partido Arena está sendo encabeçada por uma estudante de Direito da Universidade de Caxias do Sul (UCS) Cibele Bumbel Baginski, 22 anos. Cibele é a responsável pelo encaminhamento do registro do partido em questão. Para que a ideia vingue, diz ela, é necessária a adesão de 500 mil assinaturas e 101 nomes de fundadores, o que permitiria o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), além de sede em Brasília e registro em Cartório na capital federal. No dia 13 de novembro de 2012, Cibele publicou no "Diário Oficial da União" o estatuto da Arena (Aliança Renovadora Nacional). A jovem assina o estatuto como presidente nacional do grupo. A etapa é necessária para que o partido comece a coletar as cerca de 500 mil assinaturas exigidas para o registro na Justiça Eleitoral. Com o registro, a legenda passará a poder disputar eleições e a ter direito a uma parcela do Fundo Partidário, mantido com recursos da União.

A Aliança Renovadora Nacional (Arena), fundada na década de 60 e braço aliado da manutenção e sustentação da ditadura militar brasileira, foi extinta em 1979. Além da Arena, na mesma época do bipartidarismo político, existia o MDB, uma oposição “tolerável” ao governo militar. Os demais partidos políticos, principalmente de esquerda, operavam na ilegalidade.

Após as novas leis que estabeleceram o pluripartidarismo, o MDB tornou-se PMDB e o Arena deu origem a partidos com orientação de direita, sendo a sua atual dissidência o DEM (Democratas).

Arena NÃO – O Movimento Arena NÃO está ganhando visibilidade na internet através da iniciativa de jovens de Caxias do Sul. A página do grupo no Facebook (veja clicando AQUI) já tem mais de 3 mil assinantes. Idealizado pelo estudante de Marketing da FTec, Leonardo Antunes de Moraes, 20 anos, juntamente com os amigos Dângelo Augusto, 18, e Paulo Amaro, 28, o Movimento repudia a escolha do nome Arena (Aliança Renovadora Nacional) para a criação do novo partido, conforme entrevista cedida à Folha de Caxias pelos integrantes do grupo. Os jovens não possuem filiação partidária. O Movimento considera um desrespeito a refundação de um partido que é conhecido por ter sido a base do regime militar, responsável pela tortura e pelas crueldades cometidas durante o período.

O ato está sendo organizado para ocorrer na data do Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro), uma alusão às vítimas da ditadura militar. Além de Caxias do Sul, outros atos estão programados para ocorrer em Porto Alegre e São Paulo.

Saiba mais sobre o ato clicando AQUI.

 

Conheça a página no Facebook do Movimento Arena NÃO clicando AQUI.

 

 Com informações da Folha de Caxias.


Compartilhe este conteúdo: