Dieese divulga nota técnica sobre perspectivas do sistema financeiro


O Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) lançou nota técnica em que avalia o atual cenário para o sistema financeiro no Brasil.
Clique aqui para ler a íntegra da nota técnica.


O estudo leva em conta três fatores: as quedas nas taxas de juros lideradas pelas instituições federais (Caixa e BB) em abril de 2012, iniciativa do governo federal para baixar o spread bancário; o processo de redução gradual da taxa básica de juros, que afetam receitas importantes para os bancos como títulos públicos e depósitos compulsórios, corrigidos pela Selic; e as tarifas bancárias, também foram alvo do governo ao determinar que novamente as instituições financeiras públicas promovessem redução.


O documento ressalta que esse novo cenário gera a necessidade de as instituições financeiras modificarem sua forma de atuação, já que essas três fontes de receitas – juros bancários, Selic e tarifas – estão sofrendo e sofrerão reduções expressivas.


Diante desse novo contexto, o Dieese conclui que os bancos podem optar por dois caminhos. Um deles, defendido por instituições como a Caixa Federal, BB e Bradesco, aposta na ampliação do crédito como forma de recuperar a rentabilidade.


A entidade defende que o Brasil de hoje tem todas as condições para ampliar sua relação crédito/PIB, ainda inferior ao padrão de países capitalistas mais desenvolvidos. E aposta na maior capacidade da população em tomar empréstimos, diante do aumento do nível de emprego e renda dos brasileiros.

O segundo caminho, apontado por executivos de bancos como Itaú e Santander, preconiza a necessidade de melhorar a eficiência. Isso passa pela redução do número de empregados – de fato Itaú e Santander vêm promovendo cortes de postos de trabalho -, e por outras medidas que apostam menos na elevação das carteiras de crédito e mais na melhoria dos índices de eficiência, com destaque para o desenvolvimento de novas tecnologias que reduzam custos e permitam otimizar a oferta de produtos bancários.


Fonte: Contraf-CUT/Seeb SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =