Negociações com o HSBC sinalizam avanços, mas banco precisa ir além

 

Na segunda rodada de negociações específicas da Contraf-CUT, federações e sindicatos com o HSBC, realizada nesta quarta-feira 31 em São Paulo, o banco inglês sinalizou com pequenos avanços econômicos, mas ainda tímidos para satisfazer as expectativas dos bancários. Nova rodada de negociação está marcada para o dia 20 de agosto.

Houve avanços nas negociações a respeito dos seguintes temas:

> Continuidade da bolsa educacional, aumentando de 1.100 para 1.300 bolsistas, com majoração dos valores para R$ 460,00 a partir de janeiro de 2014, que serão acrescidos dos percentuais da Campanha Nacional dos Bancários.

> O banco sinaliza com ajustes no atual modelo do fundo de previdência complementar. Na próxima rodada de negociação, no dia 20, o movimento sindical apresentará proposta para o fundo de pensão, visando a construção conjunta das melhorias no plano de previdência.

> Constituição imediata de uma comissão paritária de saúde e condições de trabalho.

> O banco ratificou a garantia de que não descontará de seus programas próprios de remuneração (PPR) os valores da PLR a serem conquistados na Campanha Nacional dos Bancários.

> Fim das metas para a área de atendimento.

> Manutenção das duas operadoras de planos de saúde e odontológico.

> Treinamento interno (treinet) somente durante a jornada de trabalho.

> Abono das folgas nas datas de aniversário de vida e de tempo de casa.

Banco tem condições de avançar

"Diferentemente do que vinha acontecendo, diante da mobilização do funcionalismo em todo o país o banco finalmente começa a negociar com efetividade. Mesmo alegando as dificuldades por conta de orçamento e da projeção do impacto da Campanha Nacional em suas contas, nós trabalhadores acreditamos que o HSBC tem condições e deve avançar no processo negocial para atender as reivindicações dos bancários", afirma Alan Patrício, secretário de Assuntos Jurídicos da Contraf-CUT.

"Para a próxima reunião, em 20 de agosto, esperamos uma resposta positiva do banco nas questões pendentes, como a garantia de benefícios da NR 279 da ANS no plano de saúde, vale-cultura, atualização do CPK, extensão do parcelamento do adiantamento de férias em até dez parcelas, acesso ao sistema de aplicativo do RH para os funcionários afastados e licenciados, participação na discussão dos programas próprios de remuneração, além de garantia no emprego", afirma Carlos Kanak, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC.

Fonte: Contraf-CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

15 − 4 =