SANTANDER: Hexacampeão em reclamações é o que mais demite

 

O Brasil é responsável pela maior fatia do lucro mundial do Santander, com 25% de participação no resultado total do grupo. No segundo semestre, o banco lucrou R$ 2,9 bilhões. Mas, o investimento em funcionários é precário. O Santander Brasil mantém um modelo de gestão da redução de custos com cortes de trabalhadores. E o resultado, além da sobrecarga de trabalho, também atinge os clientes.

 A instituição financeira liderou, pelo sexto mês seguido, o ranking de reclamações do Banco Central (BC), entre as instituições com mais de 1 milhão de clientes. Em julho foi registrado índice de 2,64, número que considera as reclamações procedentes divididas pela quantidade de clientes multiplicada por 100 mil. O índice atribuído ao Santander corresponde a 611 reclamações e o banco possui 23.096.498 clientes.

De junho de 2012 a junho de 2013, o Santander fechou 3.216 postos de trabalho no país. Somente no primeiro semestre de 2013, já foram fechados 2.290 postos de trabalho.

O ranking do Banco Central traz ainda Itaú, com o índice de 1,29, em segundo lugar, correspondendo a 335 reclamações para 25,9 milhões de clientes. Além da posição na lista, o banco também é um dos campeões em demissões. Foram 4.458 dispensas de junho do ano passado a junho deste ano.

Em terceiro lugar ficou o Banco do Brasil, que teve 422 reclamações divididas entre 34,6 milhões de clientes. Apesar do lucro nas alturas (R$ 10 bilhões nos primeiros seis meses do ano) comemorado nesta semana pelo banco público, o BB pisa no freio quando o assunto é contratação. O balanço do primeiro semestre mostra que em junho de 2013 o banco possuía 113.720 trabalhadores, o que corresponde a uma redução de 276 postos de trabalho em 12 meses, já que em junho de 2012 o banco tinha 113.996 trabalhadores.

O HSBC ocupa a quarta colocação na lista do BC, com o índice de 1, com 58 reclamações computadas para o universo de 5,771 milhões de correntistas. Já o Banrisul é o quinto colocado, com índice de 0,82, com 19 queixas para 2,3 milhões de clientes.

Principais queixas – No ranking geral de reclamações, os débitos não autorizados lideram a lista, com 397 ocorrências. Aqui, o Santander também é líder com 106 queixas, seguido por Caixa (90) e BB (69). O segundo maior número de reclamações foi de prestação irregular de conta salário, com 390 queixas, sendo 276 referentes ao Santander, ou seja, o banco espanhol foi  responsável por 71% das reclamações. A cobrança de tarifas irregulares, por serviço não contratado, teve 222 ocorrências. O BB registra o maior número de reclamações do tipo: 82.

Cliente nem sente – O total de reclamações contra os grandes bancos caiu em relação a junho, mas a queda é tão pequena que o cliente nem deve sentir melhora. Foram 2.043 demandas consideradas procedentes no mês passado, ante 2.406 no sexto mês do ano. Os números se referem apenas ao descumprimento de normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) ou do BC.

 

 Fonte: Contraf/Seeb SP

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × dois =