Comando dos Banrisulenses cobra compromisso da direção do banco nas negociações



 

 

 

Os banrisulenses ficaram frente à frente com representantes da diretoria do
Banrisul na tarde desta quarta-feira, 11. A primeira rodada de negociação
específica da Campanha Salarial 2013 iniciou às 14h30, no Salão Nobre do Banco.
Logo no início do encontro o Comando deixou claro que espera negociações sérias
e ágeis com o banco, com a emissão de relatórios, que deverão ser assinados
após cada encontro. O objetivo é garantir o compromisso de ambas as partes
quanto ao cumprimento de todos os itens acertados na mesa de negociação.

Nesta quinta, às 17h, os banrisulenses têm novo encontro marcado. Os empregados do

Banrisul cortarão o bolo dos 85 anos do banco, em frente à DG. O ato irá
simbolizar a luta por maior participação nos lucros e nas decisões do banco, defesa
do banco público, além da reivindicação por melhores condições de trabalho.

 

Veja os detalhes da negociação

No início a rodada, os negociadores do banco mostraram-se determinados a incluir nos
debates questões como o banco de horas e comissão de conciliação prévia.

Embora o movimento sindical considere os temas relacionados à jornada de trabalho muito
importantes, dirigentes alertaram que essas questões não devem tirar do foco
das negociações os demais temas da pauta específica. Ao longo da reunião foram
debatidas cláusulas de segurança, remuneração, condições de trabalho e Plano de
Carreira.

Para o diretor da Fetrafi-RS e empregado do Banrisul, Carlos Augusto Rocha, a
reunião foi importante para os banrisulenses testarem as suas reivindicações e
para adiantar o processo de negociação. "O banco precisa ter consciência de que
está lidando com quase 12 mil trabalhadores. Há uma expectativa muito grande em
relação à nossa Campanha Salarial e ao atendimento da nossa pauta específica
entre os Banrisulenses. O principal objetivo é debater a melhoria das condições
de trabalho”, disse Rocha.

Para Denise Corrêa, também diretora da Federação, mesmo preliminar, a reunião foi bastante agitada. "Tivemos debates acalorados enquanto defendíamos alguns pontos da nossa pauta
específica. Isso não nos surpreende. Esperamos que o banco atenda às
reivindicações e que não frustre os colegas do Banrisul”, avaliou Denise.

O diretor da Contraf-CUT e empregado do Banrisul, Antonio Pirotti, tomou o
exaustivo e detalhado questionamento dos diretores do banco como um sinal de
que a Campanha Salarial será árdua. "A negociação com o Banrisul será difícil.
O primeiro dia indicou claramente essa tendência. A participação dos
banrisulenses em nossas manifestações e em nossas assembleias será decisiva”,
argumentou Pirotti.

 

Fonte: Fetrafi-RS e SindBancários

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 13 =