Bancários rejeitam os 6,1% e deflagram greve por tempo indeterminado

Em assembléia nesta quarta-feira 18, os bancários de Caxias do Sul e Região organizaram a greve por tempo indeterminado à partir desta quinta, dia 19. A greve já havia sido votada e aprovada na assembleia do dia 12, e agora os bancários definiram a organização do movimento.

Na falta de uma proposta concreta por parte da entidade representativa dos banqueiros, a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), a categoria entra em greve. Com adesão de agências dos bancos públicos e privados, com a tendência de ampliação de GREVE a partir da próxima semana. O completo descaso da patronal levou a categoria à mobilização. Após um mês de negociações, a Fenaban apenas sinalizou com um índice rebaixado que aponta para 6,1% de reajuste. O índice que apenas repõe a inflação medida pelo INPC foi rejeitado.

No estado, os sindicatos filiados à Fetrafi-RS (Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras do RS) já promoveram assembleias nos dias 12 e18 de setembro, cumprindo os prazos exigidos por lei, deliberando pela greve. As assembleias ficaram suspensas e foram reabertas nesta quarta para referendar a deliberação da categoria e organizar o primeiro dia de greve.

“Condições de atender nossas reivindicações os bancos tem, pois os lucros somam mais de R$ 29 bilhões obtidos somente por cinco bancos no primeiro semestre de 2013", destaca Nelso Bebber, coordenador da Secretaria de Organização e Política Sindical do Sindicato dos Bancários de Caxias do Sul e Região.

A proposta da Fenaban foi uma afronta à categoria, que estava levando a sério o processo de negociação com os bancos. Por outro lado, as negociações específicas com as direções da Caixa e do Banco do Brasil também ficaram estagnadas, sem qualquer indicação de avanço quanto aos temas discutidos ao longo da Campanha.

Assessoria de Imprensa Bancax
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =