Greve dos Banrisulenses: categoria mobilizada pela valorização

A luta dos banrisulenses quer conquistar direitos em sua pauta específica. Nesta quarta-feira, 16, os grevistas fortaleceram ainda mais o movimento para pressionar a direção a voltar a negociar, através de um Ato Público no centro de Caxias do Sul. O som dos apitos e buzinas agitou a frente da agência Marquês do Herval, superintendência do Banrisul na região, o barulho demonstrou a indignação dos grevistas que mantêm 22 unidades fechadas na base do sindicato.

Houve reunião aberta e organização para a participação do Passeatão dos Banrisulenses, amanhã 17, o passeatão tem acontecido ano após ano durante a greve, o objetivo será mostrar para a direção do banco e para o Governo do Estado, maior acionista do Banrisul, que a greve só termina quando as reivindicações forem atendidas.  

Os manifestantes deram as mãos formando simbolicamente uma camada protetora, contra a intransigência nas agências do Banrisul. Ontem, 15 de outubro, no Sindicato, durante o café da tarde os grevistas reforçaram a ideia de unidade e mobilização.

Assinatura CCT – A Contraf-CUT, as federações e os sindicatos vão assinar com a Fenaban nesta sexta-feira, em São Paulo, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2013/2014. O acordo foi aprovado pelas assembleias realizadas em todo o país nos dias 11 e 14 de outubro, depois de uma greve nacional de 23 dias.

A assinatura não interfere na greve dos banrisulenses, pois os trabalhadores estão exercendo um direito legítimo, garantido pela Constituição Federal de lutar por melhores condições de trabalho e remuneração, negociando a sua pauta específica junto à direção do Banrisul.

Tendo obtido lucro de R$ 419,7 milhões no primeiro semestre deste ano, o Banrisul comprova que tem capacidade de atender a pauta de reivindicações dos banrisulenses.

Confira quadro de greve aqui.

 

Assessoria de Imprensa Bancax

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

9 + 20 =