Fetrafi-RS e SindBancários cobram esclarecimentos sobre terceirização no Call Center do Banrisul

A Fetrafi-RS e o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre estiveram reunidos, no fim da manhã desta quinta-feira (6), com representantes da diretoria do Banrisul para discutir a terceirização de parte dos serviços do Call Center do banco. A instituição já iniciou o processo de reestruturação do setor, que implicará na realocação de 70% dos trabalhadores para outras áreas do Banrisul, incluindo a rede de agências.

As entidades sindicais foram representadas na reunião pelo diretor da Fetrafi-RS, Juberlei Bacelo; pelo presidente do SindBancários Mauro Salles e pelo assessor Jurídico, Antônio Vicente Martins. Também participou da reunião a delegada sindical e funcionária do Call Center, Aryanne Torres Nunes. O encontro foi solicitado pelo movimento sindical à direção do Banrisul para reafirmar a contrariedade dos trabalhadores à terceirização no setor.

Os representantes do Banrisul destacaram que a terceirização ficará restrita às áreas de suporte e informações do setor, incluindo SAC; ajuda ao Internet Banking; suporte Banricompras; Banricard (antigo Refeisul); consórcios e call center de agências. Já os serviços dos canais transacionais e comerciais, Banrifone e Mobile Bank continuarão sendo prestados por funcionários do Banrisul. Com isso, cerca de 70 trabalhadores poderão continuar no setor. Também serão disponibilizadas novas vagas na área administrativa do Call Center.

Os dirigentes sindicais destacaram que qualquer processo de terceirização de serviços implica em precarização do trabalho. Segundo os sindicalistas, a maior parte dos funcionários do Call Center do Banrisul já estruturou a vida pessoal em função dos horários diferenciados de trabalho. Outro ponto abordado durante a reunião foi o clima de insegurança quanto à realocação dos funcionários, gerado pelo processo de terceirização do setor.

Os representantes do Banco admitem que o Call Center evoluiu de um canal de reclamações para um canal efetivo de atendimento. Segundo eles, o Banrisul fez um estudo específico sobre o setor, em busca de um novo modelo de atendimento, capaz de suprir as necessidades da instituição. Com isso, a terceirização parcial dos serviços foi considerada a alternativa mais adequada.

Fetrafi-RS e SindBancários destacaram a responsabilidade do Banrisul com seus funcionários, que são os responsáveis pela qualidade do atendimento prestado através do Call Center.

O Banco se comprometeu de melhorar a comunicação entre a instituição e funcionários do Call Center, para dar mais tranquilidade ao processo de reestruturação do setor.

O presidente do SindBancários, Mauro Salles, garante que não irá permitir tamanha irresponsabilidade por parte de um banco público. "Com a terceirização, o banco poderá se isentar da responsabilidade de cumprir os direitos trabalhistas garantidos na Constituição. O serviço terceirizado penaliza o trabalhador. Muitos podem não receber salários dignos, 13º, férias ou até mesmo outras obrigações trabalhistas."

O diretor da Federação, Juberlei Bacelo, ressaltou no fim da reunião que o movimento sindical não concorda com a terceirização no Call Center, mesmo que o processo seja parcial. “Estamos lutando contra o PL nº 4330, que prevê a terceirização em todos os setores. Não podemos admitir que o Banrisul, na sua condição de banco público, tenha este tipo de iniciativa, considerando apenas uma visão estratégica de recursos humanos. Nosso objetivo é garantir a manutenção dos postos de trabalho e a qualidade do emprego”, enfatiza Juberlei.

Fonte: Imprensa Fetrafi-RS com SindBancários
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =