Sindicato dribla má vontade do HSBC contra Copa

Dezenas de bandeirinhas do Brasil, muitos confetes e serpentinas fizeram parte da decoração de duas agências do HSBC em São Paulo: uma na Avenida Paulista e outra na Rua Boa Vista, centro da cidade. Os enfeites, nada discretos, foram a forma bem-humorada de o Sindicato protestar contra a decisão do banco inglês de proibir seus funcionários de manifestarem sua torcida pelo Brasil.

Em circular interna, o HSBC comunicou aos bancários que “não é permitido nenhum tipo de decoração nas agências. O traje deve ser o habitual e não é permitido vir com a camisa da seleção”. A justificativa? Isso poderia constranger os clientes estrangeiros que estão no Brasil.

“É exatamente isso que os turistas estrangeiros esperam ver quando a nação do futebol sedia uma Copa do Mundo: um país animado, todo enfeitado de verde e amarelo e seu povo torcendo pela Seleção. Ou não é?!”, ironiza a diretora do Sindicato Liliane Fiúza, que participou do protesto ajudando outros dirigentes a colocar os enfeites.

“O que a diretoria do HSBC precisa entender é que o que constrange clientes e a sociedade são as demissões de pais de família, o fechamento de agências, a sobrecarga e o adoecimento de trabalhadores, as filas demoradas”, critica a dirigente, referindo-se à política de gestão que vem sendo implementada pelo banco.

Liliane afirma que os protestos vão continuar. “Vamos continuar denunciando à sociedade o desrespeito da instituição com os trabalhadores brasileiros. Os bancários têm sim o direito de torcer pela Seleção e o banco tem de aceitar isso.”

Fonte: Seeb São Paulo
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezenove + dezesseis =