Bancários denunciam Banrisul por prática antissindical em Porto Alegre

O Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região irá encaminhar denúncia ao Ministério Público do Trabalho, bem como ao Judiciário Trabalhista, quanto à conduta ilegal, arbitrária e inconstitucional adotada pela diretoria do Banrisul que está ameaçando trabalhadores substituídos processualmente em ação (coletiva) movida pela entidade e que discute a ilegalidade de jornada de trabalho de oito horas para os bancários.

Os bancários estão sendo ameaçados de supressão de parcela salarial habitualmente recebida, gratificação e ADI, se não solicitarem a exclusão de seus nomes da listagem dos substituídos.

A conduta viola o direito de ação do Sindicato e dos substituídos, além de ser prática antissindical. A ilegalidade da ameaça formulada diretamente aos substituídos, inclusive integrantes da diretoria do Sindicato está sendo noticiada na reclamatória trabalhista já ajuizada e também ao Ministério Público do Trabalho por se tratar de coação, procedimento que vicia a manifestação de vontade do trabalhador.

Importante destacar que bancos privados que já tentaram fazer que empregados desistissem de ações promovidas pelo sindicato já foram condenados em indenizações por dano moral coletivo.

O Sindicato já tem provas para embasar as denúncias e eventual ação contra o banco por sua conduta contra a dignidade da justiça.

O mais surpreendente de tudo é que a violação ao direito de ação é adotada por um banco estatal de um governo comandado por um advogado trabalhista que atuou em nome de nosso Sindicato, inclusive denunciando como ilegal a conduta praticada pelo Banrisul.

Será que o governador do Estado sabe o que a diretoria do banco está fazendo?

O Sindicato não irá desistir da medida e pretende ajuizar ação incidental de indenização por dano moral pela conduta arbitrária e ilegal do banco se a mesma permanecer sendo adotada.

Fonte: Seeb Porto Alegre
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

oito + 4 =