Legislativo caxiense aprova moção de contrariedade à reestruturação das Gecex do Banco do Brasil

Os vereadores caxienses mostraram-se contrários à reestruturação das Gerências de Comércio Exterior (Gecex) do Banco do Brasil (BB), escritórios especializados em serviços de câmbio e comércio exterior. Na sessão ordinária desta terça-feira (11/11), os parlamentares aprovaram uma moção de apoio à suspensão da medida. De autoria de Mauro Pereira/PMDB, a moção informa que o banco pretende fechar a Gecex que funciona na agência central de Caxias do Sul. O fechamento está previsto para o dia 12 de dezembro deste ano.

Segundo o texto, trabalhadores da Gecex, com apoio do Sindicato dos Bancários de Caxis do Sul e Regiã, paralisaram suas atividades na manhã desta segunda-feira (10/11), em protesto à reestruturação. Ao todo, 20 funcionários teriam de ser realocados, passando a depender da abertura de vagas em outras agências. Além disso, conforme a moção, esses trabalhadores podem perder suas comissões, tendo o salário reduzido em até 50%. Outros 150 servidores podem ser prejudicados no Rio Grande do Sul.

O documento proposto por Mauro ainda afirma que as operações realizadas pela Gecex de Caxias do Sul atendem ao Interior do Estado. Esse atendimento, conforme o texto, deverá ser direcionado a Porto Alegre e Curitiba (PR). A moção afirma que as justificativas apontadas pelo Banco do Brasil são a contenção de despesas e a eficiência operacional.
Autor da proposta, Mauro Pereira defendeu enfaticamente a permanência do serviço em Caxias do Sul. "A Gecex incentiva a exportação e a importação. As indústrias da região utilizam a agência para as transações, o que facilita a vida dos empreendedores. Nesse momento de crise, as empresas precisam de apoio", salientou. Conforme o vereador, a cidade tem perdido indústrias por causa das dificuldades enfrentadas pelos empresários.

Rodrigo Beltrão/PT também se mostrou preocupado com a reestruturação. O vereador citou que serão prejudicados os funcionários e os empresários. "Qualquer alteração deve ser debatida com os sindicatos envolvidos", defendeu. Pedro Incerti/PDT, por sua vez, afirmou que o movimento sindical fez reunião no dia 31 de outubro, solicitando a suspensão da medida do banco. "Sem dúvida, o atendimento vai ser precarizado. Esperamos que o Banco do Brasil revise essa proposta, porque estão criando muitos problemas para as famílias desses bancários", comentou.

Guila Sebben/PP, Henrique Silva/PCdoB, Jaison Barbosa/PDT e Virgili Costa/PDT também se mostraram favoráveis à moção. Para Guila, cria-se um empecilho desnecessário ao desenvolvimento da região. Henrique, da mesma forma, entende que a medida está na contramão do investimento na indústria. Jaison ressaltou a relevância das moções para demonstrar o posicionamento do Legislativo caxiense.

DELIBERAÇÃO SOBRE A MOÇÃO 37/2014

ARLINDO BANDEIRA PP Sim

CLAIR DE LIMA GIRARDI PT Sim

DANIEL ANTONIO GUERRA PRB Sim

DENISE DA SILVA PESSÔA PT Sim

EDI CARLOS PEREIRA DE SOUZA PSB Sim

EDSON DA ROSA PMDB Sim

FELIPE GREMELMAIER PMDB Sim

FLÁVIO GUIDO CASSINA PTB Sim

FLÁVIO SOARES DIAS PTB Sim

GUILHERME GUILA SEBBEN PP Sim

GUSTAVO LUIS TOIGO PDT Presente

HENRIQUE SILVA PCdoB Sim

JAISON BARBOSA PDT Sim

JOÃO CARLOS VIRGILI COSTA PDT Sim

MAURO PEREIRA PMDB Sim

NERI ANDRADE PEREIRA JUNIOR SD Sim

PEDRO JUSTINO INCERTI PDT Sim

RAFAEL BUENO PCdoB Sim

RAIMUNDO BAMPI PSB Sim

RENATO DE OLIVEIRA NUNES PRB Sim

RODRIGO MOREIRA BELTRÃO PT Sim

WASHINGTON STECANELA CERQUEIRA PDT Ausente

ZORAIDO DA SILVA PTB Sim

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Câmara Municipal de Caxias do Sul com edução Bancax
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =