Sindicatos e federações propõem ampliar discurso da campanha salarial

Disputar a narrativa da sociedade. Este foi o sentimento que ficou da primeira discussão sobre mídia da Campanha Nacional dos Bancários 2015, realizada pela Contraf-CUT em São Paulo. Dirigentes do Comando Nacional, sindicatos, federações, diretores de comunicação, jornalistas e publicitários das entidades avaliaram que está na hora da campanha ir além das questões financeiras e o momento é de garantir os direitos dos trabalhadores e avançar nas conquistas.

"Além dos bancários, que estão em seus postos de trabalho, a nossa peça de mídia também precisa dialogar com a população e despertar a atenção dos clientes sobre as condições de trabalho no ramo financeiro. Estamos vivendo um período de grande tensão para os trabalhadores, com risco de terceirização e perda de direitos. E a categoria bancária sempre tem um grande poder de mobilização", explica o secretário de Imprensa da Contraf-CUT, Gerson Pereira.

A otimização das redes sociais foi outro consenso entre os presentes. Para eles, essa é a melhor opção para falar com cada trabalhador e, principalmente, com os mais jovens. Outra necessidade é a pesquisa online para conhecer os anseios da categoria.

Também foi proposta a criação de um coletivo de imprensa que se reúna o ano todo e não só na época da campanha, para tratar questões que ficam em segundo plano, em detrimento do aumento real e outros temas pontuais da campanha.

Fonte: Contraf-CUT
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 17 =