Projeto que prevê vigilante 24 horas por dia em bancos vai a plenário na Câmara de Porto Alegre

Os vereadores de Porto Alegre devem votar, na próxima quinta-feira, 15/09, o projeto de lei que obriga as instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas na Capital a contratarem vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em feriados e fins de semana. Uma proposta semelhante foi sancionada no fim do mês passado, em Canoas, pelo prefeito Jairo Jorge. De acordo com o presidente do SindBancários, Everton Gimenis, o mês de agosto bateu recorde de ataques a bancos no Estado, contabilizando 34 ocorrências – mais de uma por dia.

Interior da agência

O projeto em tramitação na Capital, de autoria do vereador Engenheiro Comassetto (PT), prevê que os vigilantes permaneçam no Interior das agências em local em que possam se proteger durante a jornada de trabalho, dispor de botão de pânico e terminal telefônico para acionar rapidamente a polícia, e de dispositivo que acione sirene de alto volume no lado externo do estabelecimento, para chamar a atenção e afastar os assaltantes.

Para Comassetto, o projeto de lei é necessário para a segurança dos trabalhadores e também para a população que utiliza os bancos, além de abrir mais postos de trabalho. “Esse projeto de lei é uma necessidade, pois a insegurança está em todos os locais, principalmente nos bancos. Isso também vai abrir novos postos de trabalho para os vigilantes”, sustenta.

Escudo de proteção

Ainda conforme a proposta, as agências devem ter escudo de proteção ou cabine para guardas ou vigilantes e câmeras de circuito interno para gravação de imagens em todos os acessos destinados ao público. Na parte externa frontal dos estabelecimentos, devem ser colocadas no mínimo duas câmeras para gravação de imagens.

Omissão da Associação dos Bancos

Para o presidente do Sindivigilantes do Sul, o projeto significa mais emprego e segurança. Apesar das tentativas da imprensa de que a Associação dos Bancos se posicione sobre a iniciativa, até o momento, dirigentes da entidade não se pronunciaram.

Fonte: Rádio Guaíba
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 + 3 =