Live da Fenae desta quinta-feira (1º) debaterá a PLR Social

“PLR Social em Debate” é o tema da live da Fenae desta quinta-feira (1º). A direção da Caixa agiu de má fé quando pagou a PLR Social com base na divisão linear de 3% do lucro líquido entre todos os empregados e não de 4%, como determina o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente. O debate será às 19h, com transmissão ao vivo pelo Youtube da Fenae.

Participam da live: Sergio Takemoto, presidente da Fenae; Fabiana Uehara Proscholdt, coordenadora da CEE/Caixa; Leonardo Quadros, presidente da Apcef/SP e integrante da CEE/Caixa; Gustavo Cavarzan, economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e Paulo Roberto da Silva, assessor jurídico da Fenae.

“Isto é má fé. A PLR está condicionada ao desempenho da Caixa em programas sociais. Utilizar as metas comerciais desumanas para avaliar o desempenho dos colegas é uma falta de respeito. Os empregados superaram a meta em outros itens e a Caixa não considerou. Onde está a valorização dos empregados?”, questionou a coordenadora da CEE/Caixa, Fabiana Uehara Proscholdt.

“O que a direção do banco está fazendo com os empregados é desumano. É importante que os empregados participem da live. Depois de um ano de total dedicação e empenho para pagar o auxílio emergencial a 120 milhões de pessoas, o reconhecimento da Caixa é retirar direitos dos trabalhadores. Não vamos permitir este ataque a um direito histórico, conquistado com muita luta”, destacou Sergio Takemoto.

De acordo com o Dieese, a Caixa pagou a PLR Social com base na divisão linear entre todos os empregados de 3% do lucro líquido, e não de 4%, como determina o ACT vigente. Como justificativa, a Caixa alega que os empregados não atingiram as metas estabelecidas e por isso utilizou o percentual de 3% em vez de 4%. Esse erro é inadmissível, pendendo da situação do empregado, a perda pode chegar até R$ 1.593.

O debate também abordará as recentes decisões do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre as admissões dos concursados por meio de ações judiciais. O julgamento da Ação Civil Pública do Ministério Público do Trabalho, que trata da contratação dos concursados da Caixa de 2014, tem como assistentes a Fenae e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT). O julgamento está marcado para o dia 7 de abril, no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO).

Serviço

Live: PLR Social em Debate

Data: Quinta-feira (1º)

Horário: 19h

Transmissão: Youtube da Fenae (para ver, clique aqui)

Fonte: Fenae/ Contraf-CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + sete =