Nossa luta derrota votação da PEC 280 na ALERGS

Governo Leite recuou ao retirar PEC da votação em segundo turno desta terça-feira, 25/5, na Assembleia Legislativa por falta de votos, mas pode voltar a qualquer momento. A mobilização continua para afastar riscos de venda do Banrisul, Procergs e Corsan

Chantagem. Aposta com as vidas dos gaúchos papara aprovar a PEC 280/2019 na Assembleia Legislativa e vender Banrisul, Corsan e Procergs. Esse roteiro de disposição para fazer qualquer coisa e entregar empresas públicas sofreu uma derrota parcial na noite da segunda-feira, 24/5.

O governo de Eduardo Leite anunciou que, por ausência de margem para conseguir os 33 votos necessários e aprovar a PEC 280/2019 em segundo turno resolveu recuar. O segundo turno de votação não será nesta terça-feira, 25/5, mas pode ocorrer a qualquer momento (Leia aqui notícia publicada no Correio do Povo).

A notícia, publicada no site do jornal Correio do Povo, às 18h26, repercutiu imediatamente na Plenária Permanente de Mobilização e Luta dos Banrisulenses na noite da segunda-feira, 24/5. Imediatamente, os dirigentes sindicais de todo o Estado comemoraram o que chamaram de “vitória parcial” e pediram cautela. A PEC 280 pode ir a plenário a qualquer momento.

O calendário de lutas e mobilizações contra a PEC 280/2019 será mantido. Assim como as estratégias de conversar com deputados estaduais e mobilizar a base de Banrisulenses de todo o Estado.

Nesta terça-feira, 25/5, o SindBancários irá lançar, em parceria com a Fetrafi-RS, uma campanha de comunicação em que mostra o quanto o governador Eduardo Leite não respeita a decisão dos gaúchos. Desde a sessão da vergonha do primeiro turno, em 27/4, Leite fez uma aposta com as vidas dos gaúchos para vender empresas públicas.

Ele havia cedido à pressão do Partido Novo que ameaçou votar contra a PEC 280 se o governador não rebaixasse a bandeira preta e liberasse os alunos a voltarem às aulas. Leite fez isso dias antes do primeiro turno de votação da PEC 280 em 27 de abril.

Primeiro, rebaixou a bandeira preta para vermelha e então acabou com o Distanciamento Controlado. No dia 16/5, anunciou o Sistema 3As, em que libera o atendimento nas agências bancárias.

Na prática, o novo sistema acabou com o agendamento para o atendimento e provoca aglomerações nas agências bancárias. Essa liberação ante uma terceira onda de crescimento do volume de doentes e mortes no país e no RS.

A diretora da Fetrafi-RS e funcionária do Banrisul, Denise Falkenberg Corrêa, sintetizou a importância da luta em defesa do Banrisul, da Procergs e da Corsan neste momento. “Temos muita luta pela frente. Precisamos enterrar essa PEC. Lutar contra essa PEC é literalmente salvar vidas. Estamos lutando pela vida”, avaliou Denise.

O diretor da Fetrafi-RS também funcionário do Banrisul, Sergio Hoff, e anunciou que a programação das mobilizações deve continuar e aumentar. “De hoje para amanhã, nada muda. A nossa luta vai continuar sendo a mesma. A nossa mobilização tem que aumentar daqui para a frente para que o governo não proponha mais essa PEC”, salientou.

Pesquisa vai mostrar que gaúchos querem decidir em plebiscito

Antes que a notícia do recuo do govenador Leite chegasse até a plenária, o presidente do SindBancários, Luciano Fetzner, falou de uma pesquisa sobre o interesse dos gaúchos no plebiscito. Os números dessa pesquisa serão anunciados em breve, mas, podemos dizer, que uma ampla maioria de gaúchos quer decidir sobre o futuro de suas empresas públicas. Quer dizer, quer o plebiscito na Constituição Estadual

Luciano dizia que estava otimista para o dia seguinte, quando havia certeza de que haveria segundo turno para a PEC 2890/2019. “Tivemos vitória de batalha hoje. Claramente, o governo não tem voto. O que vai acontecer agora? Volta pra CCJ? Vamos saber. Temos que manter a mobilização”, acrescentou.

“Temos que avançar”

A avaliação de que a votação apertada do primeiro turno e as confusões com kit asfalto, entrega de bandeira e dois votos irregulares, podem ter sido decisivos para o recuo do governo Leite, assim como a luta e mobilização, entraram nas análises dos dirigentes.

“Se [o governo] tivesse os votos, encaminhava e votava… O governo não tinha voto. Nós já tínhamos atrapalhado eles. Num tema tão importante como dessas empresas, não pode ser uma votação tão confusa como aquela. Temos que avançar mais na conversa com os deputados”, avaliou o diretor da Fetrafi-RS e funcionário do Banrisul, Fábio Alves.

“Não podemos mais eleger privatistas”

A diretora da Fetrafi-RS e funcionária do Banrisul, Ana Maria Betim Furquim, lembrou que as dificuldades da luta em função da pandemia desafiaram o movimento sindical. Uma das lições que a diretora diz ter aprendido e que vai falar com os colegas de sua base é prestar atenção em quem votar no ano que vem.

O atual governador Eduardo Leite prometeu na Campanha Eleitoral de 2018 que não venderia o Banrisul e a Corsan. Que chamaria plebiscito. Menti. “Não podemos mais eleger privatistas”, finalizou Ana Betim.

Fonte: Imprensa SindBancários

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − 4 =