Dia da Consciência Negra é momento de luta

Atos do próximo sábado (20) mobilizam população contra retrocessos

 

Neste sábado, 20 de novembro, o Brasil se manifesta contra todo o retrocesso promovido pelo governo Bolsonaro, que ataca o processo de reparação dos quase 350 anos de escravidão da população negra. Uma série de atos serão promovidos para marcar o Dia da Consciência Negra e protestar contra Bolsonaro, um presidente racista.

Mais de 60 manifestações já estão confirmadas em cidades de todo o país. No entanto, esse número deve ser ampliado até o próximo sábado. “As manifestações deste ano concentram o ‘Fora Bolsonaro racista’ porque esse governo promoveu um desmonte de seguidas conquistas que o movimento negro vinha obtendo ao longo de anos de luta. Houve corte de verbas para comunidades quilombolas e para o Programa de Enfrentamento ao Racismo e Promoção da Igualdade Racial, só para citar alguns exemplos”, afirmou o secretário de Combate ao Racismo da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Almir Aguiar.

A Contraf-CUT e a própria CUT reforçam a convocação de seus filiados para a participação dos atos do Dia da Consciência Negra com a bandeira do “Fora Bolsonaro Racista”. “A decisão de levantar o ‘Fora Bolsonaro racista’ foi mais do que acertada. Um presidente que estimula a violência policial intensifica a morte dos jovens negros na periferia. O desemprego e a fome promovidos por esse governo atingem principalmente a população negra. Bolsonaro já se manifestou diversas vezes contra a Lei de Cotas. Agora, no ano que vem, o marco legal que instituiu as cotas passará por uma revisão. Os bolsonaristas propagam a falsa ideia de que as cotas são privilégio. Precisamos ficar alertas com essa revisão. Por tudo isso os atos de sábado são importantes”, ressaltou Almir Aguiar.

Fonte: Contraf-CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − um =