Fundação Banrisul: Sindicato, Fetrafi e entidades apoiam a “Chapa 3 – Eu sou Fundação”

Esta é a chapa que representa a luta contra a sanha privatista dos governos neoliberais gaúchos

 

No atual pleito para preencher duas vagas no Conselho Deliberativo e uma para o Conselho Fiscal da Fundação Banrisul, concorrem quatro chapas. Mas, de fato, a chapa que luta organicamente, em todas as frentes, pela sobrevivência do Banrisul público e estatal é a Chapa 3. Não é a toa, portanto, que o movimento sindical dos bancários do estado, através das suas 38 entidades representadas pela Fetrafi-RS, apoie majoritariamente a “Chapa 3 – Eu sou Fundação”, nas próximas eleições à Fundação.

Como parte desta luta, SindBancários e Fetrafi promoveram a campanha “Eu Sou Banrisul”, resgatando a imagem do banco junto aos clientes e à sociedade em geral. “Esta é a chapa que há muito luta contra a sanha de governos neoliberais gaúchos, que sempre colocam em destaque, na sua pauta, a possibilidade de privatização do Banrisul”, lembra o diretor de Comunicação do SindBancários de Porto Alegre e Região. “Foi assim durante os quatros anos do Governo Sartori (MDB), que só não encaminhou a privatização do Banrisul por não reunir condições políticas favoráveis na Assembleia Legislativa”, diz Gilnei Nunes. “E tudo se repete no atual governo, de Eduardo Leite (PSDB)”, completa o sindicalista.

Plebiscito contra privataria

O governo Leite, através de emenda parlamentar de sua base política, conseguiu arrancar da Constituição Estadual a necessidade de realização de Plebiscito Popular, para saber se o povo é favorável ou não às privatizações. Mas a CUT, juntamente com o movimento sindical, concretizou o que Leite queria impedir: de 16 a 24 de outubro último, realizou um Plebiscito Popular em Porto Alegre e em 91 cidades de todas as regiões do estado. E o resultado foi esmagador contra a política de venda das empresas estatais gaúchas. O total de votos – presenciais e pela internet – pelo NÃO à privatização das empresas estatais foi de 95,23%

O governador tucano, no entanto, segue no governo estadual – e o banco dos gaúchos e gaúchas corre sério risco. Está no balcão do mercado a oferta de venda de ações da subsidiária Banrisul Cartões. “Isso tudo pode culminar com a venda total da Banricard, pois em declaração recente nos meios de comunicação o governador disse ser favorável à venda da empresa de cartões do banco”, aponta o banrisulense Gilnei Nunes.

Eleição à Fundação

Por tudo isso, o atual pleito para preencher vagas no Conselho Deliberativo e no Conselho Fiscal da Fundação Banrisul, tem uma importância crucial para o futuro do banco e da população do RS. A Chapa 3, formada por sindicalistas, garante a pegada de luta das entidades de trabalhadores, para manter o Banrisul público e estatal.

Como mostra a marcante campanha “Eu Sou Banrisul”- promovida pelo Sindbancários de Porto Alegre e a Fetrafi-RS – no resgate à imagem do banco, fundado em 1928. E que está presente até nos pequenos municípios em que os bancos privados não têm interesse em atuar.

Com esta determinação em mente, após terem suas inscrições indeferidas irregularmente pela Comissão Eleitoral na votação ao Conselho Deliberativo da Fundação Banrisul, que aconteceria entre os dias 22/11 e 29/11 de 2021, os candidatos Gerson Reis (titular) e Sérgio Hoff (suplente), apoiados pelo SindBancários e pela Fetrafi, conquistaram Liminar na Justiça para poderem participar do pleito.

Inscrição oficializada

A inscrição dos candidatos, oficializada mediante reenvio dos documentos, significou uma vitória da democracia. Afinal, a Justiça reconheceu a quebra de isonomia do edital, que não oferecia prazos para regularização da documentação dos inscritos. Com isso, o prazo de votação tem novo calendário – de 06 a 13 de dezembro.

Os trabalhadores e trabalhadoras organizados concorrem também a uma vaga para o Conselho Fiscal, com a candidatura de Denise Falkenberg Corrêa (titular) e Eduarto Martins Poffal (suplente). E ainda, ao Conselho Deliberativo, de Carlos Augusto Oliveira Rocha e Luis Carlos Favaretto. Mas muita atenção: é preciso fazer o recadastramento dos votantes e criar uma Senha Forte, até a próxima quinta-feira, dia 18/11.

Exigências

O cadastro atualizado com dados de e-mail pessoal e celular, até às 17h do dia 18 de novembro, será condição básica para que o participantes obtenha a senha de votação. Tal informação será comunicada somente ao participante e exclusivamente pelo meio por ele indicado no Sistema de Votação FBSS, através de código enviado ao e-mail pessoal, por SMS para o celular.

Senha forte

Uma senha forte serve para impedir que contas on line sejam invadidas. Deve conter ao menos 8 caracteres. Também é recomendado o uso de Letras Maiúsculas e Letras Minúsculas; o uso de Algarismos (números) e Caracteres especiais (ex. ! @ & _? +- # } ).

Não deve conter o seu nome, nome de usuário, empresa, dado pessoal, data de nascimento, RG, etc).

Processo Eleitoral

Neste processo eleitoral, no Sistema de Votação FBSS, o participante/eleitor deverá realizar login informando seu CPF e a Senha Forte (a mesma registrada e também utilizada para a navegação pela área restrita do site www.fbss.org.br ).

 

Fontes: SindBancários, Fetrafi-RS, FBSS, CUT-RS e Dieese, com Edição de Imprensa SindBancários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + três =