Empregados(as) do Banco do Brasil definem propostas para melhoria das condições de trabalho

Os bancários e bancárias do Banco do Brasil no Rio Grande do Sul realizaram seu Encontro Estadual no dia 12 de maio e construíram a minuta de reivindicações específicas para o Congresso Nacional do BB, em 9 de junho.

No início do Encontro, a diretora da Fetrafi-RS Cristiana Garbinatto destacou as vitórias que o movimento sindical teve na Diretoria e Conselhos da Cassi e da Previ. “O que fizemos nessas campanhas não tem precedente”, destacou, lembrando que o movimento sindical uniu todas as forças para as duas eleições.

Na sequência, a representante da Fetrafi-RS na Comissão de Empregados do Banco do Brasil (CEBB), Priscila Aguirres, falou sobre o que se espera da campanha salarial dos(as) bancários(as) deste ano, que, em ano eleitoral, tende a ser mais curta. “Temos que fazer a nossa minuta o quanto antes, ter nossas pautas sistematizadas e alinhadas com o resto do país para termos mais força na mesa de negociação com a Fenaban”, destacou.

Priscila também apresentou preocupação com os relatos de colegas que estão adoecendo mentalmente pelo trabalho no Banco, com Bournout e outras doenças, sem perceber. Segundo ela, as pessoas estão sendo afastadas por problemas de saúde ou deixando o banco, o que não é a solução, pois perdem até mesmo a assistência da Cassi.

Com relação ao reajuste salarial, para Cristiana Garbinatto, a situação dos trabalhadores e das trabalhadoras no Banco do Brasil já não se resolve mais com comissões, abonos e outros penduricalhos. “Precisamos focar em plano de carreira”, frisou.

A defesa do banco público é outro ponto que foi reforçado durante o Encontro e será levado ao Congresso Nacional dos(as) Empregados(as) do BB, especialmente neste ano eleitoral, como destacou o diretor da Fetrafi-RS Ronaldo Zeni.  “O Banco do Brasil que já foi o mais importante para o desenvolvimento nacional, hoje já não tem mais nenhuma função além de ser um banco de mercado. Nós temos que resgatar a função pública do Banco do Brasil e levar esse debate para os candidatos ao governo federal”, destacou.

Os delegados e as delegadas do Encontro vão levar para a discussão nacional, as seguintes propostas:

– abono das horas negativas do período da pandemia;
– retorno da licença-interesse;
– retorno da possibilidade de acúmulo dos abonos;
– preenchimento das vagas da lotações de funcionários;
– incorporação das verbas dos gerentes antigos ao salário;
– ajustar pontuação do mérito (não contar VP e sim o salário total);
– mérito para os escriturários;
– retorno das nomeações de caixa;
– ampliação dos valores das comissões de assistente;
– transparência nas nomeações;
– aumento da dotação, aumentar o quadro de funcionários de agências que estão sobrecarregados;
– cobrança sobre programas de incentivos nada transparentes;
– plano de cargos e salários;
– trocar o nome das licenças maternidade e paternidade para natalidade;
– possibilidade de escolha dos PCDs para o teletrabalho.

 

Fonte: Fetrafi-RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze − 6 =