Vale do Paranhana tem primeiro Comitê de Luta dos Bancários no Rio Grande do Sul

O Sindicato das Bancárias e Bancários do Vale do Paranhana foi o anfitrião e organizador do Comitê de Luta, lançado na noite do dia 2 de junho, em Taquara. A iniciativa busca organizar um espaço de debate permanente e organização de ações de conscientização aos trabalhadores e trabalhadoras na região.

Neste momento a função dos comitês é incidir no processo eleitoral deste ano, que certamente é o mais importante para classe trabalhadora. A organização dos comitês é uma estratégia nacional que está sendo implementada em todas as localidades e categorias.

Para João Batista Xavier da Silva, presidente da Federação Democrática das Sapateiras e Sapateiros do Rio Grande do Sul, o comitê organizado pela direção dos bancários deve estar alinhado à organização nacional dos comitês populares de luta e as brigadas digitais, que são movimentos construídos para alimentar de informações os membros desta grande rede. “É importante que estejamos cadastrados na organização nacional, pois assim a informação chega direto em cada um e cada uma que estão na organização do comitê local.”

Antônio Guntzel, da Direção Executiva da CUT do Rio Grande do Sul avaliou o momento de crise da economia e os efeitos na vida das pessoas. “Eles não pensam em melhorar a vida do povo, ao contrário, querem extrair do povo cada vez mais lucro para poucos privilegiados no mundo, este governo representa o que pior a humanidade pode produzir, a miséria em um pais rico, a fome em um país como o Brasil, que é fertil e produz para exportar para o mundo todo, o ódio entre as pessoas e a mentira generalizada para enganar o povo.”

Deise Menezes, Diretora do SEEB do Litoral Norte e dirigente da FETRAFI-RS, observou a adesão de várias entidades no encontro, destacou a sempre protagonista direção dos Bancários do vale do Paranhama que sempre está presente nas princiais ações da categoria e inserida fortemente na luta coletiva das trabalhadoras e trabalhadores da região. “É muito bom estar aqui em taquara no lançamento deste comitê que serve de exemplo para todos nós. Precisamos levar esta iniciativas para todos os espaços do movimento sindical, cada entidade deve estimular a formação de comitê e vamos levar daqui, além do exemplo, a vontade de mudar que presenciamos neste encontro, agora é ampliar este movimento e conquistar a vitória”

Dirceu Alves, Presidente do Sindicato dos Sapateiros e Sapateiras de Igrejinha, ponderou que  “podemos voltar a sonhar e ter esperança. há um movimento forte no Brasil por mudanças e vamos estar juntos na construção dos comitês para garantir estas mudanças. Vamos lutar para revogar as perdas de direitos que tivemos e também por geração de empregos, melhoria dos salários, avanços sociais que a população ja viu acontecer e que precisamos que retorne no nosso país.”

Para Leonel Bernardo o momento é de fortalecer cada vez mais a luta e a construção dos comitês. “Nós estamos pagando mais caro por tudo e perdemos direitos, o país caiu nas mão de pessoas que não tem sensibilidade, o básico da nossa sobrevivência nos  está sendo tirado. Antes eu, que sou sapateiro, conseguia financiar minha casa, ter um carro, comer melhor, veja hoje como está o salário, vê se dá pra comprar uma casa, vê se tem financiamento, se tu podes colocar gasolina no carro pra ir visitar um parente? Então é preciso se organizar e os comitês são os espaços do povo organizado para  virar esse jogo!”

Silvana Maria da Silva, ex dirigente dos comerciários  e membra da UBM-RS – União Brasileira da Mulher Trabalhadora relata o histórico de parceria que a sempre se teve no Vale do Paranhama, nas lutas e ações, que são uma tradição na região. “A gente consegue com isso manter uma unidade em todos os setores. Nós vamos trazer isso também para este comitê. Seguiremos mobilizando principalmente as mulheres trabalhadoras, que foram as mais atingidas por este governo, para mudar os rumos do país e resgatar o estado brasileiro para as mãos de seu povo, o povo trabalhador do Brasil” afirma Silvana.

Adair José da Silva, Presidente do Sindicato dos Comerciários de Taquara destaca que “é importante que o comitê construa metas, que tenhamos ações que levem as nossas categorias as informações, principalmente denunciando aqueles que estão contra os trabalhadores e apontar as candidaturas que são nativas da luta por direitos. Esclarecer a importância do momento em os salários são os piores e as nossas condições de vida pioraram muito. Precisamos mudar esta realidade e vamos juntos neste caminho.”

Para Alex Sarate Presidente do CPERS Sindicato “esta é a eleição de nossas vidas! Mais de 90% das categorias conquistaram aumentos reais de salário no tempo dos governos lula e Dilma. Havia um grau de civilidade nas disputas eleitorais entre aqueles que eram diferentes, mas disputavam dentro da democracia. Hoje a luta é na defesa da democracia. Nós do sindicato somos a primeira trincheira de luta e é agora que estas ferramentas precisam estar ativas. A luta econômica, emprego e combate à fome, são novamente bandeiras de luta, pois voltamos no tempo. Chega de retrocesso.

A educadora Liliane Naressi Lopes observa que  “essa eleição não será fácil, está tudo tão difícil. Nós da educação que estamos diretamente com a população estamos observando a tristeza do povo. Estamos colocando à disposição nossa vontade de lutar e vamos nos somar neste movimento para fazer avançar a mudança no Brasil!”

Luis André, Diretor de Política Sindical do Sindibancários do Vale do Paranhana, afirma que “nós precisamos falar de política nos nossos locais de trabalho. Os trabalhadores das empresas públicas não podem querer votar em quem quer privatizar. Precisamos relembrar diariamente os mais jovens ou os mais esquecidos do que estamos passando desde o golpe que derrubou a presidente Dilma.O comitê tem a proposta de ser amplo para abarcar a classe trabalhadora como um todo, para garantir a vitória eleitoral e também um governo voltado a reconstruir o país.”

A Diretora Executiva da Fetrafi-RS Ana Maria Betim Furquim, que também é da direção do Sindibancários do Vale do Paranhana afirma que “a diretoria do sindicato está unida e de mãos dadas para lutar pelas trabalhadoras e trabalhadores. O sindicato precisa avançar na participação dos  conselhos municipais., na construção de políticas públicas para o bem comum, mas este governo quer acabar com os espaços de participação.” Para Ana “o que nos torna fortes é a solidariedade entre as diversas categorias. Os bancários e bancárias têm um papel fundamental  nessa construção.Quando a gente fala que tem um salário um pouco melhor sabe que isso é resultado da luta, mas os ataques deste governo tem nos tirado isso. Nós precisamos defender os bancos públicos, o Banrisul está sendo dilapidado e está na fila para ser entregue. Não podemos permitir isso, precisamos estar ativos e o comitê vem pra alimentar de informações e de esperança o nosso povo.”

Para a dirigente da Federação dos Bancários é preciso fazer a defesa do legado que se tem dos governo de esquerda. “Queremos eleger o Lula, pois ele é fruto da nossa luta e já mostrou isso quando foi governo. Aqui no estado precisamos eleger um governo que defenda o emprego e a estrutura pública. Banco público é fomento! E na defesa do nosso povo devemos eleger também aqui no governo do Estado num projeto que nos represente. Vamos eleger Edegar Pretto e Lula com a esperança da mudança! Vamos estar em todas as cidades na nossa base organizando os trabalhadores em comitês, tratando por iguais cada um e cada uma. Hoje estamos aqui com as representações sindicais. A partir disso vamos ampliar nossa atuação e nossos próximos passos deste comitê é chegar juntos a cada unidade de trabalho..Até 15 de agosto a tarefa é fazer com cada categoria o debate sobre a carestia, sobre o valor do gás, dos combustíveis, das contas de água e luz e dos alimentos. A gente precisa sair dos nossos escritórios e nos envolver nas comunidades, para ampliar a luta e garantir a vitória. Essa comunidade sofrida que hoje está desempregada já foi cliente dos bancos como a caixa, banco do Brasil e Banrisul, já garantiram o nosso salário, mas agora precisamos resgatar estes que estão desalentados e somar esforços. Vamos buscar o povo para lutar..É agora gente, está é a eleição das nossas vidas! Perder esta eleição é perder as condições básicas de vida do nosso povo.”

A fala de encerramento foi do Diretor Geral do Sindbancários do Vale do Paranhana, Francisco Carlos Dutzig: “Quando a esquerda governou obtivemos o pleno emprego e a valorização dos salários, a direita assumiu e destruiu as conquistas dos trabalhadores. Esse debate precisamos fazer com nossos colegas, amigos e familiares. Ou vamos no caminho de acabar com farias, décimo e outras conquistas ou vamos somar esforços por um mundo melhor. A bancada da FENABAM tem mais de 100 deputados e nós precisamos mudar isso. Essa é a hora!”

O encontro encerrou com a foto geral dos participantes e a organização de panfletagens. A CUT-RS produziu um material para ser distribuído nos diversos locais de trabalho e que será usado pelo comitê.

Redação e Fotografia: Alan Camargo/ Jornal O Coletivo

 

Fonte: Fetrafi-RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezessete − 12 =