Movimento sindical ressalta defesa dos empregados da Caixa

Documento entregue à Rita Serrano elenca ações para melhorar as condições de trabalho dos empregados e resgatar o papel social do banco

 

Representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT), da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) e de outras entidades de representação e associativas das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, entregaram, nesta sexta-feira (13), à nova presidenta do banco, Maria Rita Serrano, um documento com sugestões de ações que consideram como primordiais para melhorar as condições de trabalho dos empregados. A deputada federal Erika Kokay (PT/DF) também participou do ato de entrega do documento.

No texto, as entidades exaltaram o trabalho dos empregados, especialmente durante o pagamento do auxílio emergencial, e condenaram as condições a que foram submetidos durante a administração de Pedro Guimarães. “É preciso resgatar um modelo de gestão de pessoas humanizado, que valorize e que reconheça a importância do maior ativo do banco público: o Pessoal da Caixa”, diz um trecho do documento.

“Conhecemos os enormes desafios que Rita Serrano vai enfrentar para devolver uma Caixa humanizada para os empregados e para fazer o banco voltar a ter o papel social imprescindível para reconstrução do país, mas nos colocamos à disposição para contribuir neste processo”, disse o presidente da Fenae, Sergio Takemoto.

Entre as ações sugeridas pelas entidades, estão a reestruturação da Vice-Presidência de Pessoas; a elaboração de políticas que busquem o fim da cultura de assédio e a revisão da política de metas, que hoje é extremamente abusiva.

Na ocasião, Rita informou que vai recriar a vice-presidência de Pessoas e reavaliar a questão do Caixa e Tesoureiro minuto, além de fortalecer os Processos de Seleção Internos (PSI). A nova presidenta da Caixa também anunciou a mudança nas substituições por motivo de férias. Agora, será possível lançar no sistema afastamentos igual ou superior a cinco dias.

Além da Contraf-CUT e da Fenae, assinaram o documento a Associação Nacional dos Advogados da Caixa Econômica Federal (Advocef), Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa Econômica Federal (Aneac), a Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa (Fenag) e o Sindicato dos Bancários de Brasília (Seeb/DF).

Fonte: Fenae, com edições da Contraf-CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 × cinco =